PONTOS DE NANÃ

1-
Atraca, atraca
Que aí vem na onda, é Nanã
É Nanã, é Oxum,
É quem vem saravar, ei ah
É Nanã, é Oxum,
É a sereia do mar, ei ah

2-

São flores, Nanã, são flores
São flores, Nanã Burukê
São flores, Nanã, são flores,
Do seu filho Abaluaê
Nas horas de agonia
É ele quem vem nos valer
É ele, Nanã, é meu Pai,
É seu filho Abaluaê

3-

O mar roncava, entre as pedras se batia
Ao gemido da mãe d’água,
A sereia respondia
São flores, são flores…
São flores, Nanã Buruquê
São flores, são flores

4-

Minha mãe é Nanã
É o Orixá mais velho do céu
Nanã, oh Nanã Buruquê
Firma seu filhos, agora eu quero ver
Senhora Santana
Dai-nos vossa proteção
Valei-nos avó de Aruanda
Valei-nos com sua benção
Com seu manto consagrado
Com sua estrela bendita
Valei-nos senhora Nanã
Livrai-nos das horas aflitas

5-
Saravá Nanã, oi Nanã Buruquê
A sua saia é roxa
O seu telhado é de sapê.

6-

Nanã, oh minha mãe Nanã
Protege os seus filhos
Segure o meu Congá
Eu sou de Jurema
E eu quero trabalhar

7-

Nanã vem das neves,
Ela vem das ondas do mar
Saravá Oxumaré
Saravá a sereia do mar
Saravá Nanã Buruquê
Saluba

8-

Atraca, atraca, que eu vi Nanã
Bangu, Bangulê
Atraca, atraca, que eu vi Nanã auê
Atraca, atraca, que eu vi Nanã
Que eu vi Nanã Buruquê
Pergunte à sua canhanha
Se eu vi Nanã, se eu vi Nanã Buruquê

9-

Senhora Santana, mãe de misericórdia
Eu vou pedir a ela
Pra ela pedir a Deus
Oh, minha mãe, rogai por mim

10-

Nanã é mãe dos Orixás
Está na terra e na cachoeira e está no mar
Eu vou pedir à boa Nanã
Que abençoe seus filhos e seu Ogã

11-

Oh Nanã, cadê Oxum
Oxum tá nas ondas do mar
Ela é dona do reinar
Salve Oxum

12-

Oi nas ondas do mar eu vi Nanã
Oi Nanã Buruquê
Oi nas ondas do mar

13-

Oh Yemanjá, oh Yemanjá
Que linda sereia nadando
Areia nas águas do mar
Vai dizer pra Santana
Que toda semana eu rezo pra ela
Em seu louvor
É Nanã Buruquê

14-

Nas cachoeiras de Nanã Buruquê
Só se lava a cabeça do filho de Umbanda
Quando é pra valer
Mas se você não é, então não vai lá
Porque Nanã Buruquê, meu filho
Pode não gostar

15-

Maleime Velha Nanã
Maleime Deus é quem dá
Maleime Meu Pai Oxossi
Maleime
Maleime Deus é quem dá
Maleime Velha Nanã
Maleime Deus é quem dá
Maleime Meu Pai Xangô
Maleime
Maleime Deus é quem dá
Maleime Velha Nanã
Maleime Deus é quem dá
Maleime Meu Pai Ogum
Continua…….para todas as linhas

PONTOS DE XANGÔ

1-
Xangô, ô, ô, ô, ô
Xangô, ô, ô
Meu Pai
Xangô Kaô
Aonde está o mistério dos índios
Aonde está o mistério dos índios
Está na mata virgem
Onde mora meu Pai
Babalaô aê, babalaô auê
Ô, ô, ô, ô, ô
Ô, ô, ô
Meu Pai
Xangô Kaô
Se macumba não deu saravá

2- PONTO DE XANGÔ

Lá no alto da pedreira
A faísca vem riscando
Agüenta mão Cabra de Força
Que a faísca vem queimando

3- PONTO DE XANGÔ

Quando a lua aparece
O leão da mata roncou
A passarada estremece
Olha a cobra coral piou, piou
Olha a cobra piou
Salve o povo de ganga ô
Chegou seu rei de umbanda
Sarava nosso Pai Xangô

4- PONTO DE XANGÔ

O ronco da pedreira
É uma trovoada
Já se ouviu no céu
Já se ouviu no mar
Oi salve a pedra de Xangô
Oi salve a Sereia do Mar
Oi salve Oxossi lá nas matas
Oi salve Ogum no Humaitá

5- PONTO DE XANGÔ

Xangô tem seu livro na pedra
Ogum tem a sua lança
Oxossi a sua flecha
E Miguel sua balança

6- PONTO DE XANGÔ

Ó Gino, olha sua banda
Ó Gino, olha seu conga
Aonde o rouxinol cantava
Aonde Xangô morava
Ele é Gino da cobra coral
Ele é Gino da cobra coral
Ele é Gino da cobra coral
Kaô

7-
Xangô é corisco
Nasceu na trovoada
Trabalha na pedreira
Acorda na madrugada
Longe, tão longe
Aonde o sol raiou
Saravá Umbanda
Oi, saravá Xangô

8-
Escureceu, a noite chegou
Firma ponto na pedreira, saravá Xangô
Saravá Xangô 3x

9-
Subi na pedreira, subi
Uma pedra rolou no corisco de Xangô
Dizem que Xangô mora na pedreira
Mas não é lá sua morada verdadeira
Xangô mora na cidade de Luz
Aonde está Maria e o Menino Jesus
Dizem que Xangô mora na pedreira
Mas não é lá sua morada verdadeira

10-
Lá em cima daquela pedreira
Tem um livro que é de Xangô
Kaô, kaô
Kaô é kabecile é de Xangô

11-
Deixei meu filho em cima da pedreira
E de repente ele escorregou
Me ajoelhei e olhei pra baixo
Estava nos braços de meu pai Xangô

12-
Meu pai Xangô
Deixa essa pedreira aí
A Umbanda está lhe chamando
Deixa essa pedreira aí

13-
Pedra rolou, Pai Xangô, lá na pedreira
Segura o ponto, meu Pai, na cachoeira
Tenho o meu corpo fechado
Xangô é meu protetor
Firma esse ponto, meu filho
Pai de cabeça chegou

14-
Xangô, meu pai, atende essa romaria
Dos filhos que vem de longe
E não podem vir outro dia

15-
Xangô mostrai a força que vós tendes
Xangô é o rei da justiça
E não engana ninguém
Xangô Kaô, Xangô Agodô 3x

16-
Meu Pai Xangô chegou no reino
Meu Pai Xangô já vai girar
Olha seus filhos lhe pedem meu pai
Não deixe os filhos tombar

17-
Na beira do Cariri, eu vi Xangô sentado
Yemanjá e Oxum e Santa Bárbara ao seu lado
Na beira do Cariri

18-
Xangô, Xangô, meu pai Xangô
Xangô mora na pedreira
Quem mandou relampejar
Kaô Kabecile, obá, Xangô
Saravá Xangô 3x

19-
Machadinha de cabo de ouro
De ouro, de ouro
Machadinha de cabo de ouro
É machadinha de Xangô

20-
Ele vem de Aruanda
Ele vem trabalhar
Ele vence demanda
Ele é seu Pangará
Kaô, kaô, kaô, kaô
A justiça chegou, Xangô
Ele vem de Aruanda
Ele vem trabalhar
Ele vence demanda
Ele é seu Arirá
Kaô, kaô, kaô, kaô
A justiça chegou, Xangô

21-
Quem rola pedra na pedreira é Xangô
Vivô a coroa de Zambi 2x
Vivô a coroa de Zambi é maior

22-
Xangô chegou na terra
Xangô girou na Umbanda
Com seu grito de guerra
Xangô venceu demanda

23-
Quebra pedra na pedreira
Quero ver arrebentar
Quem demanda com meus filhos
Eu também sei demandar

24-
Sentado na pedreira de Xangô
Eu fiz um juramento até o fim
Se um dia me faltar a fé em meu Senhor
Que role esta pedreira sobre mim
Meu Pai Xangô chegou do Reino
Meu Pai Xangô é Orixá
Olha, seus filhos lhe pedem meu Pai
Fé e proteção neste congá

25-
Senhor dono da casa
Me dá licença de entrar
Minha banda é de Xangô,
É de Zambi e Oxalá

26-
Xangô é rei de Yorubá
Xangô é rei da pedreira
Xangô é rei dos astros
Xangô é rei de Umbanda
Os teus filhos te chamam
Xangô, Xangô, Xangô Agodô

27-
Meu pai Xangô sentado na pedreira
Com sua machadinha
Cravejadinha de estrelas

28-
Naquele tempo em que Agodô escrevia
Pena de ouro ele trazia

29-
Meu pai Xangô, olhai seus filhos
Que eu também sou filho seu
Seu Agodô,
Yemanjá Sobá, Yemanjá Sobá
Seu Aganju,
Yemanjá Sobá, Yemanjá Sobá

30-
Oh, Gino. Olha a sua banda
Oh, Gino. Olha o seu Congá
Aonde o rouxinol cantava
Aonde Xangô morava
Oh, ele é Gino da Cobra Coral

31-
Eu vi Santa Bárbara e Xangô
Estavam sentados em cima da pedra
Estavam rezando para os seus filhos
Xangô é homem que vai pra guerra.

32-
Eu fui lá nas matas buscar minhas guias
E lá encontrei pai Xangô que dizia
Zum, zum, zum, pai Xangô é Kaô
Zum, zum, zum, pai Xangô é Agodô

33-
É na mesa de Umbanda
Que Xangô faz refeição
Xangô vem cuspindo fogo
Pra levantar filhos do chão

34-
Ecoou lá na mata da Jurema
Não muito longe, num pé de caneleira
Estou ouvindo o eco do infinito,
O que será?
É o ronco da pedreira,
Xangô, Kaô, meu pai
Me cubra com sua bandeira

35-
Xangô, Kaô
Xangô meu pai, venha me ajudar
Xangô é meu guia, Xangô é meu pai
A pedra na pedreira ela rola, mas não cai
Vem trabalhar Xangô, vem trabalhar
No terreiro ele é caboclo
Na pedreira ele é Orixá

36-
Eu pedi a meu pai Xangô
Que me tirasse desta aflição
Olha o seu bom filho
Ele tem fé e lhe traz no coração
Sofrer como eu sofri
Só mesmo um filho de fé
Hoje eu agradeço a Xangô
Eu tinha esperança
Que a bonança voltaria e voltou.

37-
Xangô mora na pedreira
Onde canta o rouxinol
Sua pedreira é tão linda
Pai Oxalá abençoou
Toda coberta de estrelas
Saravá meu pai Xangô

38-
Xangô, ele rei da pedreira
Rei da pedreira ele é o rei de Umbanda
Xangô ele é o nosso Pai
E filhos de Xangô
Bambeia mas não cai

39-
Estava sentado na pedra
Esperando meu Pai Xangô
Xangô na Aruanda
Xangô na quimbanda
Xangô na linha das almas
Com Ogum venceu demanda

40-
Segura a pedra Xangô
Não deixa a pedra rolar
Pega no livro e na pena
Para a justiça firmar

41-
Eram seis horas quando o sino tocou
Na Marambaia, cidade da Jurema
Eram dez horas quando o galo cantou
Com licença de Zambi, saravá Pai Xangô

42-
Na pedreira da mata virgem
Aonde mora meu Pai Xangô
Água minou, Nanã Buruquê
Pedra rolou, saravá Pai Xangô

43-
Que pedreira tão alta
Que nem limo criou
Oh não me quebra pedra
Que a morada é de Xangô

44-
Seu Ariri, Ariri, Ariri
Seu Ariri ele é o Rei da Mata Virgem
Aonde o sabiá cantava
Na pedra onde Xangô morava

45-
Lá no alto da pedreira
A faísca vem rolando
Agüenta a mão cabra de força
Que a faísca vem queimando

46-
Minha mãe cadê Xangô
Xangô foi passear
Minha mãe cadê Ogum
Foi pra guerra guerrear

47-
Meu Pai Xangô, olhai seus filhos
Que eu também sou filho seu
Kaô, Kabecilê, saravá congá

48-
Xangô, Xangô, Xangô, Xangô meu Pai
Foi o Senhor mesmo quem disse
Filho de Umbanda não cai

49-
Tererê Xangô, ô tererê Xangô
Na calunga,
Segura filhos de Umbanda
Não deixa filhos cair

50-
Xangô é dono da pedreira
Segura o meu destino até o fim
Se algum dia eu perder
A fé no meu Senhor
Rolai essa pedreira sobre mim
Meu Pai Xangô

51-
Oxossi é rei das matas
Xangô é da pedreira
Iansã da ventania
Mãe Oxum da cachoeira
Xangô, Xangô, Xangô, kaô, Kabecilê

52-
O Ganga ô
A terra é da Jurema
O leão é lá das matas
A pedra é tão forte
O rei, é Xangô

53-
Xangô veio das virgens matas
Com seu bastão de prata
Para nos salvar Xangô kaô
Xangô no reino é meu Senhor

54-
Graças a Deus, meu Deus
Pelo dia de hoje
Louvado seja Deus
Meu Pai Xangô, muito obrigado
Que Deus nos dê muita luz em nossos caminhos

55-
Cacheoria da mata virgem
Onde mora meu pai Xangô
Pedra rolou da cachoeira
Pedra rolou, saravá pai Xangô
Saravá, pai Xangô

56-
Eram seis horas quando o sino batia
Na Marambaia, cidade da Jurema
Eram seis horas quando o sino tocou
Com licença de Zambi, saravá Pai Xangô

57-
Xangô já vai
Já vai pra Aruanda
A bênção meu pai
Proteção pra nossa banda

58-
Camboteei lá na pedreira
E Xangô disse que sim
Quem tem Santo tem Caboclo
Tá na hora de subir

59-
Xangô de ouro e ouro ô
Xangô me coroou
Filhos de pemba, a Umbanda chora
É Xangô que já vai embora
A Umbanda gira, gira, girê
A Umbanda gira, gira, gira, girá

60-
Meu pai Xangô já berimbou na aldeia
Kaô, cunhanha, ô cunhanha
Kaô cunhanha

PONTOS DA LINHA DAS CRIANÇAS

1- PONTO DAS CRIANÇAS

Papai me manda um balão
Com todas as crianças
Que tem lá no céu
Tem doce Papai
Tem doce Papai
Tem doce lá no meu jardim

2- PONTO DAS CRIANÇAS

Voa, voa, Andorinha,
Voa, voa, bem ligeiro,
Traga Joãzinho e Cosminho,
Para brincar no terreiro. (bis)
Passando na cachoeira,
Me traga a Mariazinha,
Passando lá pela praia,
Me traga linda Rosinha.
Voa, voa Andorinha,
Voa, voa, e vai buscar,
As crianças para a Umbanda,
A festa vai começar.
Voa, voa, Andorinha,
Voa, voa, bem ligeiro,
Traga Joãzinho e Cosminho,
Para brincar no terreiro. (bis)
Tem bolo, bola e cocada,
Tem sodinha e guaraná,
Hoje é um grande dia,
Vamos todos festejar.

3- PONTO DAS CRIANÇAS

1 2 3 4 5 6 eu quero ver criança
Na cabeça de vocês

4- ROSINHA

Rosinha da praia quando chegar
Vai firmar ponto no congá
Com as bênçãos de Iemanjá
Rosinha da praia quando chega
Também gosta de brincar
Ela brinca com as conchinhas
Fazendo casinha com a areia do mar

5- PONTO DAS CRIANÇAS

Papai me mande um balão
Com todas as crianças que tem lá no céu
Tem doce papai, tem doce papai
Tem doce lá no jardim

6- ROSINHA

Rosinha da Praia
Como vem beirando o mar
Como vem beirando mar,
Mas como vem beirando o mar

7- PONTO DAS CRIANÇAS

Vai começar a brincadeira, é uma grande festa
O erê, O erê, onde está o erê? 2x
Onde está a Rosinha, está na cachoeira
Onde está o Trovão, mora na pedreira
Onde está o Folhinha, está na mata a caçar
Onde está o Pedrinho que eu não vejo chegar
O erê, O erê, onde está o erê? 2x
Onde está o Lazinho, com vovô a rezar
Onde está o Paulinho, foi conchinhas catar
Onde está a Aninha, no campo a passear
Onde está Mariazinha que eu não vejo chegar
O erê, O erê, onde está o erê? 2x
Onde estão os eres que eu não vejo chegar
Onde estão os eres venham logo brincar
Tira, tira o pé do chão

8- PONTO DAS CRIANÇAS

Cosme e Damião, Damião cadê Doum
Doum foi passear no cavalo de ogum (bis)
Dois dois sereia do mar
Dois dois meu pai Oxalá (bis)

9- PONTO DAS CRIANÇAS

Bahia é que é terra de dois
É terra de dois irmãos (bis)
Governador da Bahia
É Cosme e São Damião (bis)

10- PONTO DAS CRIANÇAS

A estrela e a lua eram duas irmãs
Cosme e Damião também são dois irmãos
Oxalá e Ogum guiam nossos passos
São os filhos de Umbanda que balançam, mas não cai

11- PEDRINHO

Pedrinho, Pedrinho,
Mensageiro de xangô
Pedrinho, Pedrinho,
A ibeijada é paz e amor (bis)

12- PONTO DAS CRIANÇAS

Hoje tem alegria
Hoje tem alegria
Hoje tem alegria
No Terreiro de Umbanda
Hoje tem alegria

13- MARIAZINHA

Lá no céu tem três estrelas
Todas as três em carreirinha (bis)
Uma é Cosme e Damião
A outra é Mariazinha (bis)

14- PONTO DAS CRIANÇAS

Estrelinha que brilha no céu (bis)
É a estrelinha que brilha no mar
Estrelinha que brilha na umbanda (bis)
É a estrelinha de mãe Iemanjá

15- MARIANA

Mariana conta um
Mariana conta um
É um, é um, é um, é Ana
Viva Mariana
Viva Mariana
Mariana conta dois
Mariana conta dois
É dois, é um, é dois, é Ana
Viva Mariana
Viva Mariana
Mariana conta três
Mariana conta três
É três, é dois, é um, é dois, é três, é Ana
Viva Mariana
Viva Mariana…

16- PONTO DAS CRIANÇAS

A ibeijada já chegou
Vai querer, vai querer (bis)
Vai querer, vai tomar guaraná
E depois ela vai brincar

17- PONTO DAS CRIANÇAS

Pula corda esquindo lê lê
Pula corda esquindo lá lá
Quem não sabe pular corda
Não sabe sapatear (bis)

18- MARIAZINHA

Mariazinha da beira da praia
Como é que sacode a saia?
É assim, assim, assim
Assim que sacode a saia
É assim, assim, assim
Assim que sacode a saia

19- MARIAZINHA

Mariazinha nasceu na beira do rio
Na beira do rio lá no Jurema
Aonde a lua brilha clareia a campina
Clareia a mata
Pra Ibejada brincar

20- PONTO DAS CRIANÇAS

Ele é pequinininho
Mora no fundo do mar
Sua madrinha é Sereia
Seu padrinho é Beira Mar
No fundo do mar tem areia
Seu padrinho é Beira Mar
Sua madrinha é Sereia

21- PONTO DAS CRIANÇAS

Fui no jardim colher as rosas
A vovózinha deu-me a rosa mais formosa
Cosme e Damião, ôoooh Doun
Crispim, Crispiniano
São os filhos de Ogum
Cosme e Damião, ôoooh Doun
Crispim, Crispiniano
São os filhos de Ogum

22- JUQUINHA

Juquinha da beira da praia
Como é se que abana o boné?
É assim, assim, assim
Assim que se abana o boné
É assim, assim, assim
Assim que se abana o boné

23- PONTO DAS CRIANÇAS

Catarina você tem um congá que uma beleza
O terreiro enfeitado
Muitos doces sobre a mesa

24- MARIAZINHA

No jardim do céu brincam as crianças
Quando elas vem na terra traz amor e esperança!
Venham crianças, nos ajudar!
A criança é uma flor e merece o nosso amor
Pai oxalá que as abençoe!
Sempre resta uma esperança quando chega uma criança!
Venham crianças, venham brincar!
Fecha roda Mariazinha vamos todos cantar!
Zum zum zum chupa chupeta Doum!
Mas veja que belezinha a saia da Mariazinha! (2x)

25- PONTO DAS CRIANÇAS

Os Anjos lá no céu cantavam,
Estrela Dalva clareou
Os Anjos lá no céu cantavam,
Estrela Dalva clareou
Sarava Cosme e Damião,
Neste Terreiro Oxalá lhe abençoou
Sarava Cosme e Damião,
Neste Terreiro Oxalá lhe abençoou

26- PONTO DAS CRIANÇAS

Eu quero doce, eu quero bala,
Eu quero mel pra passar na sua cara

27- PONTO DAS CRIANÇAS

Quando a lua brilha no céu, clareia Umbanda
Clareia Ibeijada que vem lá de Aruanda

28- PONTO DAS CRIANÇAS

Tem bala de côco e peteca,
Deixa Ibejada brincar
Tem bala de côco e peteca,
Deixa Ibejada brincar
Hoje é dia de festa,
Ibeijada vem sarava

29- PONTO DAS CRIANÇAS

Doum é amigo leal,
Sem Doum eu não posso ficar
Doum é amigo leal,
Sem Doum eu não posso ficar
Vadeia Cosme, não me leva no chão,
Vadeia Cosme, cadê Damião
Vadeia Cosme, não me leva no chão,
Vadeia Cosme, cadê Damião

30- PONTO DAS CRIANÇAS

Cai, cai, sereno, vai meu destino
Me leva agora,
Para brincar com os meninos
Vou pedir licença à Zamby
E ao Sagrado Coração
Vamos todos bater palmas
Pra São Cosme e Damião

31- PONTO DAS CRIANÇAS

Titia me deu cocada,
tio me deu guaraná
Titia me deu cocada,
tio me deu guaraná
Gostei foi do caruru
Que a mamãe mandou preparar
Gostei foi do caruru
Que a mamãe mandou preparar
Mamãe me deu caruru,
eu comi caruru de mamãe

32- PONTO DAS CRIANÇAS

Vamos brincar de roda
Cosme, Damião e Doum
Eles vem montados no cavalo de Ogum
Vem trazendo rosas pra Mamãe Oxum

33- PONTO DAS CRIANÇAS

Na Bahia tem um côco,
côco que faz a cocada
Côco que faz o manjar,
para dar para Ibejada
Doum, Doum, Doum, Doum,
Cosme e Damião
Doum, Doum, Doum,
brinca sentado no chão

34- PONTO DAS CRIANÇAS

Filho de Fé estava doente,
filho de Fé estava chorando
Filho de Fé viu Ibejada,
filho de Fé já está cantando

35- PONTO DAS CRIANÇAS

Ibejada está de Ronda,
São Jorge de prontidão
Salve o povo de Aruanda,
Salve Cosme e Damião

PONTOS DE OXUM

1-
Olha o barquinho de Cinda
Cinda é quem vem trabalhar
Cinda é Mamãe Oxum, aiêiêo
Cinda é a Cobra Coral

2-

Oxum estava na beira do rio
Colhendo lírios pro seu Congá
Iluminou lá na pedreira
Os lírios brancos da cachoeira

3-

Eu sou da mina
Eu sou da mina de ouro
Onde mora mamãe Oxum
Guardiã do meu tesouro
Mamãe Oxum rainha cheia de luz
Cubrai-nos com vosso manto
Rogai por nós a Jesus

4-

No céu uma estrela vem brilhando
Nas águas o amor refletindo
Aiêiê Oxum
De alegria estou sorrindo
Também nas cachoeiras
Tem a força de Oxum
Oxum é minha mãe
E meu Pai é Ogum aiêiê

5-

Se minha mãe é Oxum
Na Umbanda e no Candomblé
Aiêiê, aiêiê, minha mãe
Aiêiê, minha mãe Oxumaré
Mas ela vem beirando o rio
Colhendo lírios pra nos ofertar
Aiêiê, aiêiê minha mãe
Orixá desça e vem nos abençoar

6-

Eu vi mamãe Oxum na cachoeira
Sentada na beira do rio
Colhendo lírios, lírios ê
Colhendo lírios, lírios á
Colhendo lírios pra enfeitar nosso Congá

7-

Oxum, Oxum
Oxum é minha mãe
É a rainha do meu congá

8-

Meu pai me diga quem é
Quem é que vem de Aruanda
É mamãe Oxum, das cachoeiras
Meu pai me diga quem é
Quem é que vem de Aruanda
É mamãe Oxum na lei de Umbanda

9-

Mamãe Oxum chegou
Na gira dos Orixás
E traz das águas dos rios
Sua mensagem de paz
Mamãe Oxum, malei-me mamãe Oxum
Olhai pros seus filhos da gira
Na fé de meu pai Ogum
Oi gira gira gira
Oi gira e torna a girar
Pra chamar povo de pemba
Na gira dos Orixás

10-

A água que sai da cachoeira
E vai correndo pelo rio afora
Salve Oxum! Salve Yemanjá
Salve Nanã! Salve a sereia do mar

11-

Ela é flor de maio
Se a minha mãe é linda flor de maio Arerê
É flor de maio

12-

Mamãe Oxum dona dos rios e dos lagos
Mamãe Oxum olha nossos lares
Ela vem na banda nos traz felicidades
Mamãe Oxum, quando vai deixa saudades

13-

No alto da cachoeira
Tem uma gruta do lado de lá
Tem um banquinho de ouro, mamãe
Onde Oxum vai se sentar

14-

Eu vi mamãe Oxum
Sentada na cachoeira
E ela cantava tanto
Chamava Ogum para jurar bandeira

15-

O rio é de Oxum, aiê-iê-o
O lago é de Oxum, aiê-iê-o
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Água da cachoeira, aiê-iê-o
Força da cachoeira, aiê-iê-o
Água cristalina, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
O rio passa na mata, aiê-iê-o
Na pedra uma cascata, aiê-iê-o
Oxóssi e Xangô, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Um vento na campina, aiê-iê-o
O rio corta a campina, aiê-iê-o
Iansã e Ogum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
O rio encontra o mar, aiê-iê-o
Nos braços de Iemanjá, aiê-iê-o
Mãe de Oxalá, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê
Águas de Oxum, aiê-iê-o
Aiê-iê, Oxum, aiê-iê.

16-

Arerê… arerê mamãe Oxum
Arerê mamãe Oxum! Arerê Oxumaré

17-

Com sua saia bordada de ouro
E o seu saiote todo rendado
Auê oh minha mãe Oxum auê
Os anjos do céu dizem amém.

18-

Caiu uma estrela dentro desse Congá
Era uma estrela azul
Era uma estrela bendita
Do manto sagrado da mamãe Oxum

19-

A Lua vem surgindo
Por detrás da cachoeira
Arerê mamãe Oxum… Arerê Oxumaré

20-

Oxum linda morena
Pra você eu vou girar
O teu canto de sereia
Agora vai me encantar
Se você inda não sabe
Quem é este Orixá
É Oxum a mãe do ouro
Rainha deste Congá

21-

Oxum e mamãe Yemanjá
És a rainha do céu, és a rainha do mar
Oxum vem acender os candeeiros
Iluminar nosso terreiro
E a seus filhos abençoar

22-

Mamãe Oxum, mamãe Oxum
Mamãe Oxum, Nanã
Me leva pras águas claras
Eu quero ver a sereia cantar
Eu quero ver os caboclinhos da areia
Trabalhando pra mãe Yemanjá

23-

Mamãe Oxum, mamãe Oxum lá do infinito
Ai vem ouvir, ai vem ouvir o nosso pranto
Nós te adoramos com amor e com carinho
Na esperança de sentir o vosso manto
Mamãe Oxum, que vem de Aruanda
Com o divino espírito santo
Vem salvar filhos de Umbanda

24-

Estrela D’Alva, estrela que brilha
É a mamãe Oxum
É a mamãe Oxum que ilumina
Ilumina a terra, ilumina o mar
Estrela matutina que ilumina esse Congá

25-

Eu fui na cachoeira chorando
Levava comigo uma dor
Ela surgiu dentre as águas
Olhando me disse assim
“Não chores meu filho querido
Pois sempre ao seu lado estarei”
Ela me deu uma rosa
E entre as flores desapareceu
Arerê! Arerê!
Arerê mamãe Oxum olha eu

26-

Salve a Estrela Guia
Salve o Cruzeiro do Sul
Salve nossa Mãe Santíssima
E o manto sagrado de Mamãe Oxum

27-

Nas águas serenas da lagoa
Uma estrela apareceu
E foi como num sonho
A estrela desapareceu
Eu seu lugar eu vi
A deusa das águas aparecer
Formou-se arco-íris
Eu gritei para ele me valer
Oxum, Oxumaré venha me socorrer

28-
Oxum, teu nome eu trago
Na palma de minha mão
Oh! Oxum, teu filho roga
De ti muita proteção

29-

Eu vi, eu vi Nanã, eu vi Oxum na beira do rio
As aves cantam ao romper da Aurora
É Mamãe Oxum que vai chegar agora

30-

Foi na beira do rio aonde Oxum chorou
Chora iêiêiêô, choram os filhos seus

31-

Mamãe Oxum
Salve a banda da senhora
Mamãe Oxum
Aiêiê já vai embora

32-

O rio que te trouxe
É quem te leva pro mar
Auê, auê, auê seu canzuá

33-

E vai, vai, vai
E vai beirando o rio
E vai mamãe Oxum
Para todo mal levar

PONTOS DE OGUM

1-PONTO DE OGUM IARA

Se meu Pai é Ogum, Ogum
Vencedor de demanda
Ele vem de Aruanda
Pra salvar filhos de Umbanda
Ogum, Ogum, Ogum, Ogum Iara
Ogum, Ogum, Ogum, Ogum Iara
Salve os campos de batalha
Salve a Sereia do Mar
Ogum, Ogum Iara

2- PONTO DE OGUM

Ogum olha a banda auê, ah
Ogum olha a banda auê, ah

Oh! Meu São Jorge
Toma conta da umbanda
Que Ogum está de ronda
Olha a Umbanda auê, ah

3- PONTO DE OGUM DE LEI

Ogum de Lei
Quem manda é Zambi
Ogum de Lei
Quem manda é Zambi
Corre, corre toda guia
Pra salvar filhos de Umbanda
Corre, corre toda guia
Pra salvar filhos de Umbanda
Lá vai o sol, ele vai girar
Ele vai girar na linha de Umbanda
Ele vai girar.

4- PONTO DE SÃO JORGE

E quem está de ronda é São Jorge
Deixa São Jorge rondar
E quem está de ronda é São Jorge
Deixa São Jorge rondar
São Jorge é guerreiro
Que manda na Terra
Que manda no Mar
São Jorge é guerreiro
Que manda na Terra
Que manda no Mar
Sarava Meu Pai
Sarava Meu Pai
Girar é bom, girar é bom, girar é bom
É bom girar

5- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Ogum quando sai da lua
Ele faz tremer a Terra
Nos campos de batalha
Senhor Ogum venceu a guerra
Ogum quando sai da lua
Ele faz tremer a Terra
Nos campos de batalha
Senhor Ogum venceu a guerra
Lê, lê, lê, lê ê
Lê, lê, lê, lê á
Vamos Sarava nosso Pai
Ogum Beira Mar
Lê, lê, lê, lê ê
Lê, lê, lê, lê á
Vamos Sarava nosso Pai
Ogum Beira Mar

6- PONTO DE OGUM MEGÊ

Ogum em seu cavalo corre
E a sua espada reluz
Ogum em seu cavalo corre
E a sua espada reluz
Ogum, Ogum Megê
Sua bandeira cobre os filhos de Jesus
Ogum iê!

7- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Se o céu é lindo
O mar também é
Se o céu é lindo
O mar também é
Aonde está as cachoeiras, Beira Mar
Aonde está as cachoeiras e a Rainha do Mar
Aonde está as cachoeiras, Beira Mar
Aonde está as cachoeiras e a Rainha do Mar

8- PONTO DE SÃO JORGE

Cavaleiro na porta bateu
Eu passei a mão na pemba
Pra ver quem era
Cavaleiro na porta bateu
Eu passei a mão na pemba
Pra ver quem era
Era São Jorge Guerreiro, viajante,
Cavaleiro da força e da fé.
Era São Jorge Guerreiro, viajante,
Cavaleiro da força e da fé.

9- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Pisa na linha de Umbanda
Que eu quero ver
Ogum Sete Ondas
Pisa na linha de Umbanda
Que eu quero ver
Ogum Beira Mar
Pisa na linha de Umbanda
Ogum Iara, Ogum Megê
Olha a Umbanda, Ogum iê

10- PONTO DE OGUM

Nesta casa de guerreiro
Vim de longe pra rezar
Rogo a Deus pelos doentes
Na fé de Obatalá
Ogum salve a Casa Santa
Os presentes e os ausentes
Salve nossas esperanças
Salve os velhos e crianças
Nego veio e ensinou
Na cartilha de Aruanda
E Ogum não esqueceu
Como vencer a Quimbanda
A tristeza foi embora
Na espada de um guerreiro
E a luz no romper da aurora
Vai brilhar neste terreiro.

11-PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Ogum já venceu
Já venceu, já venceu
Ogum vem de Aruanda
E quem lhe manda é Deus
Ogum já venceu
Já venceu, já venceu
Ogum vem de Aruanda
E quem lhe manda é Deus
Ele vem beirando o rio
Ele vem beirando o mar
Salve Santo Antônio da Calunga
Benedito e Beira Mar
Ele vem beirando o rio
Ele vem beirando o mar
Salve Santo Antônio da Calunga
Benedito e Beira Mar

12- PONTO DE OGUM

Por entre matas
Por entre mares e terra
Por entre matas
Por entre mares e terra
Eu entendi o que meu Pai quis dizer
Que Ogum não devia beber
Que Ogum não devia fumar
Mais a fumaça representa as nuvens
E a cerveja as espumas do mar
Que Ogum não devia beber
Que Ogum não devia fumar
Mais a fumaça representa as nuvens
E a cerveja as espumas do mar

13- PONTO DE OGUM MEGÊ

Oxossi assobiou
Pra passar no Humaitá
Oxossi assobiou
Pra passar no Humaitá
Pra falar com Ogum Megê
Mensageiro de Oxalá
Pra falar com Ogum Megê
Mensageiro de Oxalá

14- PONTO DE SETE ONDAS

Ó filhos de Umbanda
Seu Sete Ondas
Vem do Humaitá
Que bela surpresa
Vem de Aruanda
Nos abençoar

15- PONTO DE BEIRA MAR

Auê, auê, Ogum Beira Mar auê
Auê, auê, Ogum Beira Mar auê
Iansã virou o tempo
Pra Oxum não governar
Mas durante o barra vento
Oxum se pois a cantar
Auê, auê, Ogum Beira Mar auê
Auê, auê, Ogum Beira Mar auê

16- PONTO DE OGUM

Filho de pemba bebe água no rochedo
Filho de Ogum corre campo e não tem medo
Filho de pemba bebe água no rochedo
Filho de Ogum corre campo e não tem medo
Vou pedir ao criador
Que derrame o seu amor
Aos nossos guias
E ao nosso Babalaô

17- PONTO DE OGUM

Ogum guarde as pedreiras
Mandado por Oxalá
Com a espada, e com a lança, Ogum
Seus filhos vêm ajudar

18- PONTO DE OGUM

Iemanjá cadê Ogum
Foi com Oxossi ao Rio Jordão
Foram saudar São João Batista
E batizar Cosme e Damião

19- PONTO DE OGUM IARA

Seu cavalo corre
Sua espada reluz
Sua bandeira cobre
Todos os filhos de Jesus
Seu cavalo corre
Sua espada reluz
Auê, seu Ogum Iara
Aos pés da Santa Cruz

20- PONTO DE OGUM DE RONDA

Quem Beira Rio, Beira Rio
Beira Mar
O que se ganha de Ogum
Só Ogum pode tirar
Quem Beira Rio, Beira Rio
Beira Mar
O que se ganha de Ogum
Só Ogum pode tirar
Seu Ogum de Ronda
É quem vem girar
E vem trazendo folhas
Pra descarregar
Seu Ogum de Ronda
É quem vem girar
E vem trazendo folhas
Pra descarregar

21- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Oxalá está chamando
Ogum lá no Humaitá
Pra lhe dar uma bandeira
E mandar ele girar
Oxalá está chamando
Ogum lá no Humaitá
Pra lhe dar uma bandeira
E mandar ele girar
Se ele é capitão ele vai girar
E se for de Angola também vai girar
E se for Ogum de Lei – ele vai girar
E se for de Nagô – também vai girar

22- PONTO DE OGUM 7 ESPADAS

Eu tenho 7 Espadas pra me proteger
Eu tenho 7 Espadas pra para vencer
Eu tenho Ogum em minha companhia
Ogum é meu Pai
Ogum é meu Guia
Ogum 7 Espadas
É filho da Virgem Maria

23- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Salve Ogum Megê
Ogum Rompe Mato
Ogum Beira Mar
Salve Ogum Megê
Ogum Rompe Mato
Ogum Beira Mar
Ele trabalha na areia meu Pai
Ele trabalha no mar
Ele trabalha na areia meu Pai
Ele trabalha no mar

24- PONTO DE SÃO JORGE

Quando Jesus descer do céu
São Jorge segura o seu reinado
Quando Jesus descer do céu
São Jorge segura o seu reinado
Olha que as folhas da mangueira
São Jorge não deixa seus filhos cair
Olha que as folhas da mangueira
São Jorge não deixa seus filhos cair

25-PONTO DE OGUM

Ogum que está de ronda
Não deixa a demanda entrar
É hora, é hora, é hora Ogum
É hora de comandar

26- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Seu Ogum Beira Mar
O que trouxe do mar
Seu Ogum Beira Mar
O que trouxe do mar
Quando ele vem
Vem beirando a areia
Na mão direita ele trás
A guia de Mamãe Sereia

27- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Estrela, clareia a terra
Estrela, clareia o mar
Estrela, clareia a terra
Estrela, clareia o mar
Clareia o congá de Beira Mar
Clareia
Clareia os filhos do congá

28- PONTO DE OGUM

Na porta da Romaria
Eu vi um cavaleiro de ronda
Trazia um escudo no braço
E uma lança na mão
Mostrando que matou o dragão
Mostrando que matou o dragão

29- PONTO DE OGUM MEGÊ

Todo homem que fuma e bebe, oh ganga
È Ogum Megê, oh ganga
Todo homem que fuma e bebe, oh ganga
È Ogum Megê, oh ganga
Paturi, Paturi, Paturi, oh ganga
È Ogum Megê, oh ganga
Paturi, Paturi, Paturi, oh ganga
È Ogum Megê, oh ganga

30- PONTO DE OGUM 7 ONDAS

Estava na beira da praia
Quando eu vi 7 Ondas, rolar
Abre a porta, oh gente
Que ai vem Ogum
Em seu cavalo marinho
Ele vem trabalhar

31- PONTO DE OGUM

Olha Ogum ta de ronda
Quem está chamando é São Miguel
Réu, réu, réu
Na linha de Umbanda
Quem está chamando é São Miguel

32- PONTO DE OGUM

Ogum foi praça de cavalaria
Ogum foi praça de cavalaria
Foi Capitão e Major de dia
Foi Capitão e Major de dia

33- PONTO DE OGUM

Ogum, olha a sua bandeira
È branca, é verde e encarnado
Ogum, olha a sua bandeira
È branca, é verde e encarnado
Ogum, nos campos de batalha
Ele venceu a guerra
Sem perder soldado

34- PONTO DE OGUM DE LEI

Ogum de Lei
Não me deixes sofrer
Tanto assim meu Pai
Ogum de Lei
Não me deixes sofrer
Tanto assim meu Pai
Quando eu morrer
Vou passar lá na Aruanda
Sarava Ogum de Lei
Sarava Ogum de Umbanda

35- PONTO DE SÃO JORGE

O Jorge, o Jorge
Vem de Aruanda
Vem salvar os vossos filhos
São Jorge venceu demanda
Ogum, Ogum
Ogum meu Pai
O senhor mesmo é quem disse
Que filho de Umbanda não cai

36- PONTO DE OGUM

Ogum, que abalou as estrelas
Que abalou as areias
E as ondas do mar
Ogum, a hora é boa
Abre os caminhos
Firma esse congá

37- PONTO DE OGUM NARUÊ

Olha Ogum Naruê chegou
Olha Ogum Naruê baixou
Sou filho de Umbanda
Ogum já me salvou

38-PONTO DE OGUM MATINATA

Que cavaleiro é aquele
Que vem caminhando pelo céu azul
É seu Ogum Matinata
Ele é defensor
Do Cruzeiro do Sul
É, é, é
Seu Cangira
É, é, á
Seu Cangira
É, é, é
Seu Cangira
Pisa na Umbanda

39- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Ele trabalha na terra meu Pai
Ele trabalha no mar
Ele trabalha na areia meu Pai
Salve Ogum Beira Mar

40-PONTO DE OGUM 7 ESPADAS

Ogum 7 Espadas está no reino
Ele veio saravá
Ogum 7 Espadas está no reino
Ele veio saravá
Saravá todos seus filhos
Firma ponto no congá
Saravá todos seus filhos
Firma ponto no congá

41- PONTO DE OGUM MEGÊ

Ogum Megê
General de Umbanda
Em seu cavalo seu Ogum foi guerrear
Com sua espada
Com sua lança
Venceu demanda nos campos do Humaitá
Ogum Megê

42-PONTO DE OGUM MEGÊ

O seu cavalo corre
Sem ninguém vê
O seu cavalo corre
Sem ninguém vê
Salve as sete espadas
De Ogum Megê
Salve as sete espadas
De Ogum Megê

43-PONTO DE SÃO JORGE

No seu cavalo branco
Ele vem montado
Calçado de botas
E bem armado
Vinde, vinde, vinde
São Jorge é nosso protetor
Vinde, vinde, vinde
São Jorge é nosso salvador

44- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Beira Mar, auê, Beira Mar
Beira Mar quem está de ronda é militar
Ogum já jurou bandeira
Na porta do Humaitá
Ogum já venceu demanda
Vamos todos sarava

45- PONTO DE SÃO JORGE

Eu pedi caridade
São Jorge me deu
Eu pedi caridade
Pelo amor de Deus

46- PONTO DE OGUM

Olha Ogum está de ronda
Miguel tá chamando
Eu não sei onde é
É, é
Eu não sei onde é
É, é

47- PONTO DE OGUM

Ogum partiu pra guerra
Oxalá deu carta branca
Ogum venceu a guerra
São Jorge venceu demanda
Quem quer guia, guia, guia
Quem quer guia, guia, meu
Quem quer guia, guia, guia
Quem quer guia, guia, meu

48- PONTO DE OGUM

Marchai, marchai
Ogum de guia
Estrela D Alva
E da Virgem Maria
Oh vem, com sua espada
Vem salvar seus filhos
Que se acham em agonia

49- PONTO DE OGUM DE LEI

Ô gente saravá Ogum
Ele é nosso general
Ô gente saravá Ogum
Ele é nosso general
Diz Ogum é de Lei, lê, lê
Diz Ogum é de Lei, lá, lá
A coroa de Ogum de Lei
Só Deus pode tirar

50- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Olha Ogum vai se embora
Pra sua banda
Olha banda com banda Katinguelê
Firma ponto Ogum vai se embora
Firma ponto Ogum Megê
Firma ponto Ogum vai se embora
Firma ponto Ogum Megê

51- PONTO DE SÃO JORGE

Quem está de ronda é São Jorge
São Jorge é quem vem rondar
Abre a porta, ô minha gente
Deixa a falange de São Jorge entrar
Quem está de ronda é São Jorge
Toda noite, todo dia
Quem está de ronda é São Jorge
Nossa Senhora da guia
Quem está de ronda é São Jorge
Minha mãe me diga o que é
Quem está de ronda é São Jorge
Velando os filhos de fé

52- PONTO DE OGUM ROMPE MATO

Eu vi o sol raiar
Eu vi estrela brilhar
Eu vi seu Rompe Mato
Ogum das matas
Passeando á beira mar

53- PONTO DE OGUM

Ogum é todo Malé
Malé ô linha Nagô
Ogum é todo Malé
Malé ô linha ô

54- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Ele jurou bandeira
Ele tocou clarim
E o exército todo
É comandado por Ogum
Salve Ogum Iara
Salve Ogum Megê
Salve Ogum Matinata
Salve Ogum Naruê

55- PONTO DE OGUM ARRANCA TOCO

Ele vem com a justiça de Xangô
Ele traz Iansã e Iemanjá
Ele vem com Oxossi das matas
Ele traz o amor de Oxalá
Ogum, vencedor de demanda
Estrela clareou sua banda
Na sua aldeia ele é caboclo
Ogum Arranca Toco

56-PONTO DE LINHAS DE OGUM

General Tatá de Umbanda
Ogum é general
Se ele é Ogum Iara
Ogum é general
Se ele é Ogum Matinata
Ogum é general
Se ele é Ogum Rompe Mato
Ogum é general
Se ele é Ogum Naruê
Ogum é general
Se ele é Ogum Megê
Ogum é general

57- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Ô ronda a Terra
Ô ronda o mar
Cavaleiros de Umbanda
Mensageiros de Oxalá
Ogum de Lei
Ogum Iara
Ogum Rompe Mato
Ogum Beira Mar

58- PONTO DE OGUM

Nos campos do Humaitá
Venceu a guerra meu Pai, eu vi
No seu cavalo de bronze
Guerreou na sua Terra
Guerreou na sua Terra
Com sua espada dourada
Na ponta da sua lança, eu vi
Laço de fita encarnada

59- PONTO DE OGUM

Foi ao romper da madrugada
Que a coral piou
Foi ao romper da madrugada
Que a coral piou
Com seu capacete
Ele saravou
Com seu capacete
Ele saravou

60- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Ogum Iara, Ogum Megê
Olha Ogum Rompe Mato, auê
Ogum Iara, Ogum Megê
O Cangira de Umbanda, auê

61- PONTO DE OGUM 7 ESPADAS

Senhor Major Ogum
Mas ele é praça de cavalaria
Com sete espadas
Ele nos defendia
Senhor Major Ogum
Seja nossa companhia

62- PONTO DE OGUM

Seu cavalo é de prata
De ouro é quem vem montado
Com sua bandeira içada
Defende seus filhos amado

63- PONTO DE OGUM

Quem anda por mar
Quem anda por terra
E nunca se cansa
Com seu laço de fita encarnada
Amarrada na ponta da lança

64- PONTO DE OGUM

Capitão do mar
É Barabara
É com chuva, é com vento
Ele vai navegar
Ele vai, ele vai
E com chuva e com vento
Ele vai navegar

65- PONTO DE OGUM DE LEI

Ogum de Lei, ê, ê
Ogum de Lei, ê, á
Ogum de Lei, ê, ê
Olha as costas do mar- Malé

66- PONTO DE LINHAS DE OGUM

Com a licença de Ogum Megê
Nós vamos saravá
Ogum Iara
Ogum Nagô
Ogum Rompe Mato
Ogum Beira Mar

67- ponto de ogum

Saravá Ogum
Ogum é nosso guia
Sentou praça de cavalaria
Ele é guarda da Virgem Maria

68- PONTO DE OGUM

Seu Ogum diz que não é rei de Umbanda
Mas diz que manda, nos filhos seus
Seu Ogum diz que não é rei de Umbanda
Mas diz que manda, nos filhos seus
Seu Ogum é meu Pai
Seu Ogum é meu guia
Seu Ogum é meu Pai
Vivo com Deus e a Virgem Maria

69- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Montado em seu cavalo branco
Ele vem beirando o mar
Traz no peito uma estrela dourada
Traz nos braços Mamãe Iemanjá
Saravá Ogum
Saravá Ogum
Saravá Ogum Beira Mar

70- PONTO DE OGUM

São Jorge e a Sereia
São dois dragões de guerra
São Jorge e a Sereia
São dois dragões de guerra
Sereia rainha do mar
São Jorge é rei da Terra

71- PONTO DE OGUM 7 ONDAS

Sete Ondas na Terra
Sete Ondas no mar
Sete Ondas na Umbanda
Sete Ondas no gongá
Segura a pemba ê, ê
Segura a pemba ê, á
Segura a pemba
Deixa as ondas navegar

72- PONTO DE OGUM MEGÊ

No campo do Humaitá
Ogum Megê
Eu vi uma nação florir
Ogum Megê
Auê, auê
Ogum Megê

73- PONTO DE OGUM MEGÊ

Da sua banda estão me chamando
Ogum Megê chegou
Da sua banda estão me chamando
Ogum Megê baixou

74- PONTO DE SÃO JORGE

Que cavaleiro é aquele
Que vem cavalgando
Pelo céu azul
Ele é São Jorge guerreiro
Que vem comandando
A falange de Ogum
É, é, é seu Cangira
É, é, á seu Cangira
É, é, é seu Cangira
Pisa na Umbanda

75- PONTO DE SÃO JORGE

Ele é São Jorge guerreiro
O Rei dos feiticeiros
Feitiço como este
Ainda estou pra ver
Ele é São Jorge guerreiro
O Rei dos feiticeiros
Feitiço como este
Ainda estou pra ver
Ele gira no Encruzo
E na Calunga também
Ele é um Rompe Mato
Saravá Ogum de Lei
Ele gira no Encruzo
E na Calunga também
Ele é um Rompe Mato
Saravá Ogum de Lei

76- PONTO DE OGUM DE LEI

Oh Jorge cavaleiro de Umbanda
Nós temos que vencer demanda
Oh Jorge cavaleiro de Umbanda
Nós temos que vencer demanda
Ogum de Lei, lei, lei
Ogum de lá, lá
Ogum de Lei, lei, lei
E das ondas do mar do mar

77- PONTO DE OGUM

Ogum está de ronda
Meu pai veio ronda
Veio abençoar seus filhos
E na banda saravá

78- PONTO DE OGUM

Quando Ogum vem lá de Aruanda
Traz uma espada
E uma lança na mão
Ogum é um cavaleiro
Que venceu a guerra
E matou o dragão
Ele é São Jorge guerreiro
Guerreiro do Humaitá
No terreiro de Umbanda
Vêm seus filhos saravá

79- PONTO DE OGUM

Ogum é homem que foi pra guerra
Se mete com ele que eu quero ver
Ogum é homem que venceu a guerra
Se mete com ele que eu quero ver
É um Tatá, é um Tatá, é um Tatá
Se mete com ele que eu quero ver

80- PONTO DE OGUM

Ouvi um toque de clarim na lua
Pois era o toque do maior do dia
Ogum foi praça de cavalaria
Ele é ordenança da Virgem Maria

81- PONTO DE OGUM

Mamãe que cavaleiro é aquele
Que pisa, com arrogância nesta Terra
Oh! Ele é Ogum Megê
Que veio da batalha
Com sua lança de guerra

82- PONTO DE OGUM

È Beira Mar
Porque vem beirando o mar
É Rompe Mato, quando rompe as matas
É Ogum Megê na ronda da Calunga
É de Malei Rei das Encruzilhadas

83- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Minha espada é de aço
Minha espada vai brilhar
Minha espada é de fogo
É Ogum é o Beira Mar
Brilha muito e com amor
Em sua bela caminhada
Beira Mar em sua estrada
Tem a estrela bem amparada

84- PONTO DE OGUM

Quando Ogum apontou para a Serra
Sua espada brilhou na Umbanda
Pela fé acabou com a guerra
E os seus filhos venceram demanda

85- PONTO DE OGUM

Se a sua espada é de ouro
Sua coroa é de lei
Ogum é um Tatá de Umbanda
Sue Cangira mugongo
Ogunhê
Ogum é um Tatá de Umbanda
Sue Cangira mugongo
Ogunhê

86- PONTO DE OGUM ROMPE MATO

Orion, Orion
Porque me chamas
Olha o sol, olha a lua
Ventania de Aruanda
Cavaleiro da floresta
Ele é filho de Umbanda

87- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Ogum já vai
Já vai pra Aruanda
A benção meu Pai
Proteção pra nossa banda

88- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Ogum já me alvorou
Ogum já me saravou
Filho de pemba porque tanto chora
É Ogum que já vai embora

89- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Ogum sela seu cavalo
Que já é hora
Ogum meu Pai
Já vai embora

90- PONTO DE OGUM 7 ONDAS

Oh filhos de umbanda
Seu 7 ondas vem do Humaitá
Que bela surpresa
Vem de Aruanda nos abençoar
Oh bela surpresa
Bela surpresa como vai você
Que bela surpresa
Vem de Aruanda pra nos proteger

91- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

A sua espada brilha no raiar do dia
Seu Beira Mar é filho da virgem Maria
Seu Beira Mar, beira maré
Seu Beira Mar na porta da Romaria

92- PONTO DE OGUM

Seu general
Com sua espada e sua lança
Ele deixou em seu caminho
Um montão de sentinela
Seu general oh seu general
Na lei de umbanda ele é meu Pai
Ah ele é meu Pai
Foi o senhor mesmo que disse
Que na umbanda
Que os filhos de Ogum não cai
Seu general

93- PONTO DE OGUM

Ogum é de babaloê
Ogum é de babaloá
No céu ele é São Jorge
Não mar ele é Beira Mar
Na areia ele beira areia
Quando ele chega nesse canzuá

94- PONTO DE OGUM

Seu Ogum me disse
Que dançar nagô é bom
Dançar nagô é bom
Dançar nagô é bom
Dançar nagô é bom
Dançar nagô é bom

95- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Mandei selar o seu cavalo
Oi abre a roda que eu vou viaja
Seu Ogum veio seu Ogum vai
Mais se ele vai, ele torna a voltar

96- PONTO DE SUBIDA DE OGUM

Selei, selei seu cavalo eu selei
Selei, selei seu cavalo eu selei
Seu Ogum já foi embora
E seu cavalo eu selei

97- PONTO DE OGUM BEIRA MAR

Na alvorada um cavaleiro surgiu
Com sua lança e seu escudo a brilhar
Seu capacete reluzia em pleno céu
Ele é Ogum ele é seu Beira Mar
Salve meu pai Ogum oh
Ele vem trabalhar
Ele vence demanda
Salve seu Beira Mar

98- PONTO DE OGUM

Brilhou no céu
Brilhou no mar
A lança de São Jorge
Refletindo no luar
Ogum é São Jorge
Meu santo protetor
Dai forças aos meus irmãos
Saúde, paz e amor

99- PONTO DE OGUM

Eu não seria nada
Se não fosse Ogum
Para abrir a minha estrada
Eu não seria
Valente guerreiro aqui chegou
Vencedor de demanda meu protetor
Em sua trajetória meu pai luta contra o mal
Foi nos campos de batalha que se tornou general
Eu não seria
Eu não seria nada
Se não fosse Ogum
Para abrir a minha estrada
Salve Ogum de Ronda
Salve seu Ogum Megê
Saravá Beira Mar
Ogum Iara, Ogum de Lei
Salve toda a falange
Do glorioso guerreiro
Que corta toda a demanda
Aqui dentro do terreiro

100- PONTO DE OGUM

Beira Mar auê, Beira Mar
Beira Mar auê, Beira Mar
Eu tava na minha banda
Eu tava no meu conga
Eu tava lá na calunga
Pra que me mandou chamar
Beira Mar auê, Beira Mar
Beira Mar auê, Beira Mar
A sua espada meu pai
Eu quero ver
A sua lança meu pai
Ogum Megê

101- PONTO DE OGUM

Ogum em seu cavalo branco
Ele vem, ele vem chegando
No terreiro de umbanda
Ele é Ogum, Ogum que vence demanda

102- PONTO DE OGUM

Ogum venceu demanda
Nos campos do Humaitá
Cruzou sua espada na areia
Lavou seu escudo no mar

103- PONTO DE OGUM

Quando Oxalá fundou a umbanda
Senhor ogum tomou conta do conga
Veio Oxum, veio Iansã
Veio Yemanjá
Veio a Jurema para trabalhar
A caboclada iluminou todo o terreiro
E Oxalá abençoou
Oh saravá seu Rompe Mato
Nesse terreiro ele é o protetor

104- PONTO DE OGUM ROMPE MATO

Eu vi raiar o dia
Eu vi estrela brilhar
Eu vi seu rompe mato
Ogum das matas à beira mar.

105- PONTO DE OGUM ROMPE MATO

Arrebenta o cipó
Rompe o mato
Treme a terra
Montado em seu cavalo
ele é Ogum da guerra
Oi não há mato que eu não entre
Nem há pau que eu não derrube
Nem demanda que eu não vença
Que São Jorge não me ajude.

106- PONTO DE OGUM

Não corte a mata que é de Oxossi
Não quebre a pedra que é de Xangô
E não se meta com filho de umbanda
Filho de Ogum, guerreiro vencedor.

107- PONTO DE OGUM

Lá na Bahia onde Ogum é Santo Antônio
E na umbanda ele é Jorge Guerreiro
Eu quero ver a sua fé meu filho
Aonde é que Ogum é verdadeiro.

PONTOS DE OXOSSI E OS CABOCLOS DA MATA

1- PONTO DE TUPINAMBÁ

A benção, a benção
A benção Tupinambá
A benção ó Pai
Ó benção Mãe
A benção Tupinambá

2- PONTO DE TUPINAMBÁ

Pisa firme no terreiro
Tupinambá é nosso Pai
Quem é filho de Tupinambá
Balanceia mais não cai

3- PONTO DE TUPINAMBÁ

Estava na beira do rio
Oi sem poder atravessar
Chamei, chamei pelo caboclo
Eu chamei Tupinambá

4- PONTO DE TUPINAMBÁ

Eu vi nas matas um dia
Tupinambá sentado em pedra fria
Ele cantava, ele assoviava
E lá no céu uma estrela brilhava

5- PONTO DE TUPINAMBÁ

Tupinambá é um caboclo das matas
E tem sua cabana lá no Juremá
Ele é oriê, ele é oriá
Ele é oriê, ele é oriá
Ele usa saiote de pena
E leva sua flecha
Quando vai caçar
Ele é oriê, ele é oriá
Ele é oriê, ele é oriá
Tupinambá é um caboclo direto
Ele gira nas matas e neste congá
Ele é oriê, ele é oriá
Ele é oriê, ele é oriá

6- PONTO DE PENA BRANCA

Ele atirou
Ele atirou ninguém viu
Seu Pena Branca é quem sabe
Aonde a flecha caiu

7- PONTO DE PENA BRANCA

Eu vi meu Pai assobiar
Ele mandou chamar
É de Aruanda ê
É de Aruanda ê
Seu Pena Branca
É de Aruanda ê

8- PONTO DE CABOCLO

Oxalá chamou
E já mandou buscar
Os caboclos da Jurema
No seu Juremá
Pai Oxalá
É o Rei do mundo inteiro
E já deu ordem pra Jurema
Mandar seus capangueiros
Mandai, mandai
Minha cabocla Jurema
Os seus guerreiros
Essa é a ordem suprema

9- PONTO DE PENA BRANCA

Seu Pena Branca se perdeu nas matas
Jurema achou e acabou de criar
É general, é flecheiro
É filho da Jurema
É neto da cobra coral

10- PONTO DE CABOCLO

Meu passarinho azulão
Quando voa não pousa no chão
Vem cá caboclo de pena
Peito de aço
E bodoque na mão

11- PONTO DE CABOCLO

Chegou agora do sertão do Paraná
Chegou agora do sertão do Paraná
Ele é caboclo, ele é flecheiro
Ele vem pra trabalhar
Salve, salve o Senhor Salvador
Salve, salve o Senhor Salvador

12- PONTO DE ARRANCA TOCO

Caboclo Arranca Toco
Sua luz é minha guia
Ele é Oxossi
Filho da Virgem Maria

13- PONTO DE ARRANCA TOCO E ROMPE MATO

Na sua aldeia ele é caboclo
Seu Rompe Mato
Seu Arranca Toco
Na sua aldeia
Lá na Jurema
Não se faz nada
Sem ordem suprema

14- PONTO DA JUREMA

Ô Juremê, ô Juremá
Esqueceu sua jangada , seu samurá
Seu pintassilga, sua cobra coral
Sua cobra caninana, seu tamanduá
Deu a volta na Jurema
E tornou a voltar

15-PONTO DE OXOSSI

Caça na Aruanda, ê coroa
Oxossi é caçador

16- PONTO DE CABOCLO

Caboclo da mata virgem
Da mata serrada
Lá do Juremá
Quem manda na mata é Oxossi
Quem manda no céu é Oxalá
Ô, ô, okê caboclo, quero ver girar
Quero ver caboclo
De Umbanda girar

17- PONTO DE PENA BRANCA

Estava na mata
Eu tava trabalhando
Seu Pena Branca
Passou me chamando

18- PONTO DE CABOCLO

Caboclo já tem caminho
Para caminhar
Ele caminha por cima da pedra
Por baixo de pau
Por todo o lugar
Seus caminhos estão abertos
Caboclo pode passar
Ele vai girar, ele vai girar
Ele vai girar, ele vai girar
Caboclo filho de Oxossi
Filho de Umbanda
E de Oxalá
Quando a lua surgir
Ele vai girar

19- PONTO DA JUREMA

Jurema, aonde está sua flecha
Jurema, cadê seu Juremá
Salve o sol, salve a lua
Salve o cruzeiro
Saravá filhos de Umbanda
Saravá o seu terreiro

20- PONTO DE CABOCLO

Ô caboclinho da mata virgem
Plantou raiz nasceu flor

21- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Que lindo capacete de pena
Que tem a cabocla Jurema
Mas ela é linda como a flor de oriá
Aê, lê, lê, lê á

22- PONTO DA CABOCLA JANAÍNA

Eu vi um peixe
Na beira d´ água
Solte os cabelos Janaína
E cai na água
Ela é princesa
E feminina
Vamos saravá
A cabocla Janaína

23- PONTO DE CABOCLO

Na mata virgem
Sapori cantou
E Oxalá mandou
Saravá babalaô

24- PONTO DE CABOCLO

Caboclo quando chega a aldeia
Mas ele vem, vem beirando a areia
Na aldeia, onde ele mora
Mora na saia da samambaia

25- PONTO DE CABOCLO

Ele é caboclo, ele é flecheiro
Oi bumba na calunga
É laçador de feiticeiro
Oi bumba na calunga
Ele vai firmar seu ponto
Oi bumba na calunga
E vai firmar nesse terreiro
Oi bumba na calunga

26- PONTO DO CABOCLO FLECHEIRO

Caboclo Flecheiro
Tu és a nação do Brasil
Tu és a nação brasileira
Auê, caboclo
Das cores da nossa bandeira

27- PONTO DO CABOCLO DA LUA

Eu sou Caboclo da Lua
Fui mandado por Ogum
No terreiro de Oxalá
Saravá babalaô

28- PONTO DO CABOCLO TUPINAMBÁ

Tupinambá é uma flor cheirosa
Tupinambá é uma flor cheirosa
Aonde vai Tupinambá
Eu vou pra aldeia agora

29- PONTO DE PENA BRANCA

Lá na Jurema
Embaixo de um pé de ingá
Lá onde a lua clareia, ô Jurema
Eu vi seu Pena Branca passar
Ele jurou e sempre jurará
Vem ouvir os conselhos
Que a Jurema veio dar

30- PONTO DO CABOCLO UBIRAJARA

Meu Deus, que penacho é aquele
É um penacho de arara
Mais quando rompe a mata virgem
Quem vem chegando
É o caboclo Ubirajara

31- PONTO DO CABOCLO UBIRAJARA

Corta língua, corta mironga
Corta língua de falador
Onde ele pisa não tem embaraço
Ele é seu Ubirajara
Do peito de aço

32- PONTO DE SUBIDA DE CABOCLO

E os caboclos vão embora
Aleluia, auê
Vão com Deus e Nossa Senhora
Aleluia, auê

33- PONTO DE SUBIDA DE CABOCLO

A benção meu Pai
Quando eu precisar eu chamo
Zambi lhe trouxe
Zambi vai lhe levar
Agradeço a toalha de chita
Que está no congá

34- PONTO DE SUBIDA DE CABOCLO

E os caboclos vão
E os caboclos vão
E as andorinhas
Vão cantando alegres
Pela mata virgem
Onde mora meu Pai

35- PONTO DE SUBIDA DE CABOCLO

Caboclo pega a sua flecha
Pegue seu bodoque
Que o galo já cantou.
Que o galo já cantou
Na Aruanda
Oxalá te chama
Para sua banda
Auê caboclo

36- PONTO DE SUBIDA DE CABOCLO

Oi pega a flecha
Pega o bodoque
Diga adeus
E os caboclos vão embora
Lê, lê, lê, tá na hora

37- PONTO DE CABOCLO

Caboclo quando é batizado
Ele arreia em qualquer lugar
Primeiro cumprimenta Zambi
E corre gira em todo lugar

38- PONTO DE OXOSSI

Eu vi chover, eu vi relampejar
Mas mesmo assim o céu estava azul
Samborê pemba
Folha da Jurema
Oxossi reina
De norte a sul

39- PONTO DO CABOCLO CAÇADOR

Seu caçador na beira do caminho
Oi, não me mate
Essa coral na estrada
Ela abandonou sua choupana caçador
Foi no romper da madrugada
Oi, caçador

40- PONTO DE CABOCLO

A coral é sua cinta
A jiboiá é sua lança
Oia, quizôa, quizôa, quizôa ê
Caboclo mora nas matas

41- PONTO DO CABOCLO SAMAMBAIA

Quanto tempo que eu não bambeio
E eu vim aqui pra trabalhar
Sou o caboclo Samambaia
Vim aqui pra trabalhar
Sou o caboclo Samambaia
Vim aqui pra saravá

42- PONTO DE PENA BRANCA

Seu Pena Branca
Quando vem da aldeia
Vem trazendo pemba
Pra salvar filhos de Umbanda
Ele é caboclo, ele é flecheiro
Ele é Oxossi
Ele é caçador

43- PONTO DE OXOSSI

Oxossi , Oxossi mora
Na raiz das caneleiras
Ogum mora na lua
Xangô lá nas pedreiras

44- PONTO DE OXOSSI

Oxossi é rei no céu
Oxossi é rei na terra
Ele não desce do céu sem corôa
Sem sua moamba de guerra

45- PONTO DO CABOCLO UBIRAJARA

Estrela d´alva é sua guia
Ubirajara é caboclo valente
Ubirajara mora lá na mata
Lá na grota funda
Lá no fim do mundo

46- PONTO DE OXOSSI

Oi não se mexe na espada de Ogum
Oi não se mexe na machada de Xangô
Oi não se mexe nas flechas de Oxossi
Que lá nas matas é rei é caçador

47- PONTO DE OXOSSI

Ele é Oxossi e dorme na lacaia
Ele é caboclo em qualquer lugar
Ele não apanha folha da Jurema
Sem ordem suprema de Pai Oxalá

48- PONTO DO PENA BRANCA

Galo cantou na serra
A mata estremeceu
Caboclo seu Pena Branca
Na cachoeira apareceu
Ele é caboclo guerreiro
Que mora no rochedo
Somente cobra coral
Conhece dele o segredo
Eu vi na margem do rio
Em linda manhã serena
Caboclo seu Pena Branca
Firmando ponto na areia

49- PONTO DO CABOCLO GENTIL

Ô Gentil vai buscar a sua flecha
Ô Gentil vai buscar a sua flecha
Eu não, eu não vou lá
Se eu for Ogum me pega

50- PONTO DO CABOCLO GENTIL

Gentil é um caboclo forte
Gentil é um caboclo gente
Gentil é da terra nova
Da aldeia de São Vicente

51- PONTO DE CABOCLO

Chama caboclo nas matas
É pra trabalhar
Caboclo da mata virgem
Caboclo vem trabalhar

52- PONTO DE CABOCLO FOLHA VERDE

Como é tão lindo
Assistir festa na mata
Ouvindo o som da cascata
O lindo canto do sabiá
Que noite linda
Que bela noite de luar
Foi no clarão da lua
Que eu vi seu Folha Verde chegar
A mata estava em festa
Toda coberta de flores
Ate os passarinhos cantavam
Meu caboclo eles cantavam em seu louvor
Oh, oh, oh, oh quanta beleza
Oh, oh, oh, oh que belo esplendor
Como é bom ter a certeza
Que seu Folha Verde é meu protetor

53- PONTO DO CABOCLO ROMPE MATO

É o rei, é o rei
É o rei do Panaiá e da Jurema
Lá na Jurema
Rompe Mato é o rei
É o rei do Panaiá e a Jurema

54- PONTO DO CABOCLO JUNCO VERDE

Quem manda nas matas é Oxossi
Oxossi é caçador
Oxossi é caçador
Eu vi meu pai assobiar
Eu já mandei chamar
É de Aruanda ê
É de Aruanda â
Seu Junco Verde é de Aruanda
É de Aruanda â

55- PONTO DO CABOCLO ROMPE MATO

Hoje tem alegria
No terreiro do meu pai
Saravá seu Rompe Mato
Que ele é chefe de congá
Embala eu baba
Embala eu

56- PONTO DE OXOSSI

Naquela estrada de areia
Aonde a lua clareou
Todos os caboclos paravam
Para ver a procissão
De São Sebastião
Okê, okê caboclo
Meu pai caboclo
É São Sebastião

57- PONTO DE OXOSSI

Aqui nessa aldeia
Tem um caboclo que ele é leal
Ele não mora longe
Mora aqui mesmo nesse canzuá

58- PONTO DE CABOCLO

Caboclo bradou
Louvando Oxalá
Lá na mata virgem
Eu vi caboclo bradar
Vi caboclo Sete Luas
Que nos guia passo a passo
E o valente Ubirajara
Que tem o peito de aço
E vi o grande guerreiro
Caboclo Tupinambá
Pai de toda a Jurema
Igual a ele não há
E vi o caboclo Tupã
Na corte celestial
Na beira de um grande rio
Eu vi seu Cobra Coral
Vi caboclo Pena Branca
Saudando Pai Oxalá
Caboclo Lira é a flor
Que nasceu no Jurema
E o caboclo bradou
Caboclo bradou
Louvando Oxalá
La na mata virgem
Eu vi caboclo bradar
Vi seu Itatu em pé
Caboclo de Urupá
Com sua jibóia do rio
Gritando seu forte bradar
Também menina Jupira
Cabocla de nossa fé
É a menina dos olhos
Do Cacique Aimoré
Também vi seu Girassol
E da tribo Tupiara
E nas matas da Jurema
São as nossas jóias raras
São caboclos de raízes
São do solo brasileiro
Vem com o Sete Encruzilhadas
Da umbanda o pioneiro

59- PONTO DO CABOCLO PENA BRANCA

Um grito da mata ecoou
Foi seu Pena Branca que chegou
Com sua flecha e seu cocar
Seu Pena Branca vem nos ajudar

60- PONTO DE OXOSSI

Lembrai de seu lírio verde lembrai
Lembrai que ele é nosso pai
Lembrai de seu lírio verde lembrai
Lembrai que ele é nosso pai
Ele é um caboclo cheio de pena
Entra mancinho nas folhas da Jurema

61- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Oh jureme, oh Jurema
Sua folha caiu serena
Oh Jurema
Dentro desse congá

62- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Salve São Jorge guerreiro
Salve São Sebastião
Salve a cabocla Jurema
Que nos deu a proteção

63- PONTO DO CABOCLO FLECHEIRO

Ele é caboclo ele é flecheiro
Bumba na calunga
E laçador de feiticeiro
Bumba na calunga
Mais ele vai firmar seu ponto
Bumba na calunga
E vai firmar nesse terreiro
Bumba na calunga

64- PONTO DE OXOSSI

Vermelho é a cor do sangue do meu pai
E verde é a cor da mata
Assobiou, assobiou, assobiou
Firma a cabeça que Oxossi vem ai

65- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Entrei na mata
Sem pedir licença
Só pra ver a força
Que a Jurema tem
Oh jureme, Oh Jurema
Capitão da mata
Mandou lhe chamar

66- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Jurema seu saiote é muito lindo
Seu capacete é azul
Como brilha o Diadema
Jurema ê, ê Jurema ê á
Jurema filha de Tupinambá
Ela sempre foi
E sempre será
Rainha lá das matas
Onde canta o sabiá

67- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Jurema
Oh jureme, oh juremá
É uma cabocla guerreira
Filha de Tupinambá
Ela atirou sua flecha
Ela atirou sem errar
É uma cabocla de pena

68- PONTO DE CABOCLO

Oh caça, caça eba, oba
Oh caça, caça eba, oba
Quero vê caçar eba, oba
Quero vê caçar eba, oba
Caboclinho da mata como brinca
Olha como brinca
Caboclinho da mata como brinca
Olha como brinca

69- PONTO DE OXOSSI

Oxossi esta no cruzambe
Oxossi esta no cruzambe
Na cidade da Jurema
Oxossi esta no cruzambe
Lá no cruzambe, lá no cruzambe
Lá no cruzambe, lá no cruzambe

70- PONTO DO CABOCLO CAÇADOR

Oh Caçador na beira do caminho
Oh não me mate essa coral na estrada
Ela abandonou sua choupana Caçador
Foi no romper da madrugada

71- PONTO DO CABOCLO MATA VIRGEM

Ele atirou, ele atirou e ninguém viu
Ele atirou, ele atirou e ninguém viu
Seu Mata Virgem é quem sabe
Aonde a flecha caiu

72- PONTO DE CABOCLO

Caboclo vem da mata virgem
E tem sua choupana na Jurema
Auê ele é caboclo ganga
Vem de Aruanda pra salvar filhos da banda

73- PONTO DE PENA BRANCA

Seu Pena Branca o caranga
Ta no congá o caranga
Seu Pena Branca o caranga
Ta no congá o caranga
Seu Pena Branca
O que mata é a sua
O que pia a cobra
Canta o sabiá e clareia a lua

74- PONTO DE SUBIDA DE CABOCLO

Caboclo apanha sua flecha
Apanha seu bodoque
Que o galo já canto
Caboclo apanha sua flecha
Apanha seu bodoque
Que o galo já canto
Que o galo já cantou na Aruanda
Oxalá te chama para sua banda

75- PONTO DE SUBIDA DE CABOCLO

Caboclo vai embora
Pra cidade da Jurema
O bom Jesus ta lhe chamando
Pra cidade da Jurema
Mais ele vai ser coroado
Na cidade da Jurema
Com a coroa de arerê
Na cidade da Jurema

76- PONTO DE CABOCLO

Na imensidão da mata escura
O caboclo olha pra lua
Da o seu brado de guerra
Da o seu brado de guerra
Ele é guerreiro da mata
Com seu arco e sua flecha
Sai pra caçar, sai pra caçar
Okê lindo caboclo
Lá da mata da Jurema
Onde seu brado dá
Okê lindo caboclo
Lá da mata da Jurema
Onde canta o sabiá
Orou, orou
Quando a sua caça acertou
Orou, orou
Quando a sua caça acertou
E agora vai chegar neste congá
Com a força de Oxossi
E a licença do Juremá
E agora vai chegar neste congá
Com a força de Oxossi
E a licença do Juremá

77- PONTO DE CABOCLO

A coral é sua cinta
A jibóia é sua lança
Quizuá, quizuá, quizuá ê
Caboclo mora na mata

78- PONTO DE ARRACA TOCO

Seu Arranca Toco é de Aruanda
É de namo Zambe
Quando ele chega de Aruanda
Auê, auê

79- PONTO DA CABOCLA JUREMA

A Jurema é muito linda
Com seu capacete de penas
Chama a Jurema, chama a Jurema
Pra salvar filho de pemba

80- PONTO DE CABOCLO

Ele veio de tão longe
Para atar a pauendá
Bendito louvado seja
Ele é rei do Panaiá
O bate bumbo lá na aldeia
Ê, ê
O bate bumbo lá na aldeia
Ê, ê

81- PONTO DA CABOCLA FLECHEIRA

Quem é filho da Jurema
Pede licença aos orixás
Pra defender os seus filhos
Dos perigos da terra e do ar
Ta na cabocla flecheira
Toda a força do seu Juremá
Vencedora de demanda
Cabocla flecheira vamos saravá

82- PONTO DA CABOCLA JUREMA

No centro da mata virgem
Ela vem girando pela mata a fora
No centro da mata virgem
Ela vem girando pela mata a fora
Meu Deus quem ela é
A cabocla Jurema
Filha de Nossa Senhora

83- PONTO CABOCLO ROXO

Caboclo roxo tem a cor tão linda
Da cor da flor do maracujá
Oh saravá caboclo Roxo
Oi salve a força de pai Oxalá
De joelhos peço atenção
Meu pai vem nos abençoar
Oh saravá caboclo Roxo
Oi salve a força de pai Oxalá

84- PONTO DO CABOCLO 7 FLECHAS

Caboclo 7 flechas nasceu
No jardim das oliveiras
Caboclo 7 flechas nasceu
No jardim das oliveiras
Trazia amarrado em sua cinta uma coral
Oh sucuri jibóia da aldeia
Oh sucuri jibóia
Quando vem beirando o mar
Oh sucuri jibóia
Quando vem beirando o mar
Olha como o branco olhou
Pra sua cobra coral
Segura essa cobra não deixa ela fugir
O nome dessa cobra é cobra sucuri
Segura essa cobra não deixa ela fugir
O nome dessa cobra é cobra sucuri

85- PONTO DO CABOCLO 7 FLECHAS

Curimbembe, curimbemba
Curimbembe, curimbemba
7 flechas é um grande orixá
Com 7 dias de nascido
A Jurema o encontrou
Deitado na folha seca
O caboclo ela criou
Curimbembe, curimbemba
Curimbembe, curimbemba
7 flechas é um grande orixá
Nasceu nas matas de Oxossi
Na aldeia do Juremá
O caboclo 7 flechas
Iluminado por Oxalá

86- PONTO DO CABOCLO TUPINAMBA

Estava na beira do rio
Sem poder atravessar
Chamei pelo caboclo
Caboclo Tupinambá
Tupinambá chamei
Chamei tornei chamar ê a

87- PONTO DE CABOCLO

Caboclo não tem caninho para caminhar
Caminha por cima da folha
Por baixo da folha por todo lugar

88- PONTO DE CABOCLO

Na beira do rio verde
Eu vi caboclo na areia
Pegando peixe miúdo
Pra levar pra sua aldeia
Caboclo pega o anzol
Em noite linda e clara
Vai pescar no rio verde
Por ordem de mãe Iara

89- PONTO DE CABOCLO

Oxalá chamou e já mandou buscar
Os caboclos da Jurema no seu juremá
Pai Oxalá é reino mundo inteiro
E já deu ordem pra Jurema mandar seus capangueiros
Mandai, mandai minha cabocla Jurema
Os seus guerreiros essa é a ordem suprema

90- PONTO DE OXOSSI

Oxossi é caçador
Caça aqui, caça acolá
Ele é caçador

91- PONTO DO CABOCLO ROMPE MATO

A sua terra é longe
E uma estrela brilhou
Mais os seus filhos de umbanda já lhe procurou
Oi já lhe procurou
Quem é seu Rompe Mato de umbanda
Que até agora ainda não chegou

92- PONTO DE OXOSSI

Se meu pai é Oxossi
Eu quero vê balancear
Arreia, arreia campagueiro da Jurema
Oh Juremá

93- PONTO DA CABOCLA JUREMA

No centro da mata virgem
Uma linda cabocla eu vi
Com seu saiote feito de penas
É Jurema filha de Tupi
Jurema, Jurema, Jurema
Ela é cabocla da lei suprema

94- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Caiu uma flecha na Jurema
Veio serena e molhou
E depois veio o sol enxugou, enxugou
E a sua mata se abriu toda em flor

95- PONTO DE SUBIDA

A sua aldeia é longe
E eles vão embora
E vão beirando o rio azul
Adeus umbanda que os caboclos vão embora
E vão beirando o rio azul

96- PONTO DA CABOCLA IARA

Iara amiga rainha
Que protege a nossa mata
Iara é na falange
A princesa da cascata
Tua beleza morena
Será por nos exaltada
És o orgulho da falange
Oh minha cabocla amada

97- PONTO DO CABOCLO 7 ENCRUZILHADAS

Chegou, chegou, chegou, com Deus,
Chegou, chegou,
O Caboclo das Sete Encruzilhadas
Ovelhas abnegadas do rebanho de Maria
Salve o Sete Encruzilhadas salve Estrela da Guia
Salvai, salvai o doce nome de Maria
A virgem da piedade há de ser a nossa guia

98- PONTO DE OXOSSI

Foi Zambi quem criou o mundo
Só Zambi pode governar
Foi Zambi quem criou
A estrela que ilumina
Oxossi lá no Jurema
Oke, Oke, Oke,Oke meus caboclos Oke

99- PONTO DE CABOCLO

Oxalá chamou e já mandou buscar
os caboclos de Jurema
Lá no Juremá
Pai Oxalá é o Rei do mundo inteiro
Ja deu ordens pra Jurema
Mandar seus capangueiros
Mandai, mandai
Minha Cabocla Jurema
os seus guerreiros
essa é uma ordem suprema!

100- PONTO DE CABOCLO

Jurema deu um estrondo
e toda a terra estremeceu
Onde estão os capangueiros da Jurema
que até agora não apareceu

101- PONTO DO CABOCLO ARRUDA

Quando ele vem,
Lá de Aruanda,
Mas ele vem com ordem de Oxalá!
Sua missão é muito grande,
É espalhar a caridade,
E aos seus filhos abençoar
Saravá Mamãe Oxum!
Saravá papai Oxalá,
Saravá Caboclo Arruda
Ele é nosso Chefe,
É dono desse jacutá.

102- PONTO DO CABOCLO ARRUDA

Está iluminada a nossa banda
Está cheio de flor o meu conga
Meu Pai Arruda é tudo que faço
Meu Pai Arruada
Ilumina os caminhos por onde eu paço

103- PONTO DO CABOCLO 7 ESTRELAS

Caboclo bom é aquele que mais brilha
Oi na coroa da Virgem Maria
Seu Capacete brilha de noite e de dia
No terreiro de Umbanda
Sete Estrelas é nosso Guia

104- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Jurema, oh Juremê Juremá
É uma cabocla de pena, filha de Tupinambá
Rainha da pontaria nunca se viu ela errar
Tem a pele bronzeada, os olhos cor do luar
Passa correndo nas folhas não se ouviu seu pisar
É uma cabocla de pena.

105- PONTO DO CABOCLO 7 FLECHAS

Foi numa tarde serena
No sertão lá da Jurema
Ouvi um caboclo Bradar
Quiô, Quiô, Quiô, Quiô quiera
A umbanda está em festa
Saravá seu Sete Flechas
Que ele é o Rei lá da Floresta

106- PONTO DE CABOCLO

Ouvi meu pai assobiar
Ele mandou chamar (bis)
Vem de aruanda ê, Vem de aruanda á
Todos os caboclos de umbanda
Vem de aruanda ê (bis)

107- PONTO DE CABOCLO

Na mata virgem uma coral piou
Ele atirou a sua flecha certeira (bis)
Ele atirou, ele atirou, ele atirou,
Atira caboclo lá nas matas da Jurema (bis)

108- PONTO DO CABOCLO 7 FLECHAS

Ê êeê Caboclo Sete Flexas no congá
Sarava seu Sete Flexas
Ele é o Rei das matas
A sua bodoque atira
Caboclo, a sua flecha mata.

109- PONTO DO CABOCLO BOIADEIRO

Quem vem lá sou eu
Quem vem lá sou eu
Quem vem lá sou eu
Boiadeiro eu sou

110- PONTO DE OXOSSI
Naquela estrada de areia,
Aonde a lua clareou,
Todos os caboclos pararam,
Para ver a procissão de São Sebastião.
Okê, okê, caboclo!
Meu pai Oxossi é São Sebastião.

111- PONTO DO CABOCLO ROMPE MATO

Vermelho é a cor do sangue do meu pai
e verde é a cor das matas
vermelho é a cor do sangue do meu pai
e verde é a cor das matas
Saravá seu Rompe Mato da Jurema
Saravá a mata onde ele mora

112- PONTO DO CABOCLO MATA VIRGEM E SEU COBRA CORAL

No meio da mata eu vi
Dois nomes cravados num toco de pau
De um lado era seu Mata Virgem
Do outro seu Cobra Coral
No meio da Mata Virgem eu vi
Os dois caboclos
Falavam a língua Tupi-guarani

113- PONTO DO CABOCLO TUPI
Auê cauena
Eu vi caboclo na mata eu vi
Caboclo dizendo que era Tupi,
Mas ele é o rei do arerê

114- PONTO DO CABOCLO MATA VIRGEM

Seu Mata virgem
Quando vem das matas
Ele traz na cinta uma cobra coral
Oi é uma cobra-coral

115- PONTO DO CABOCLO ARRANCA TOCO

Seu Arranca Toco é de aruanda,
é de nagô também
Quando ele chega na umbanda
auê, auê

116- PONTO DE CABOCLO
Ele veio de tão longe para sarava uendá
Bendito louvado seja ele é o Rei do Panaiá
Bate atabaque lá na aldeia aldeia

117- PONTO DO CABOCLO CAÇADOR
Seu caçador na beira do caminho
Ah não me mate a coral na estrada
Ele abandonou sua chopana caçador
foi romper da madrugada

118- PONTO DE CABOCLO

Caboclo, Caboclo ele é filho da guiné
Se seu pai é rei ele é príncipe é.

119- PONTO DE CABOCLO

Ele é caboclo da banda de lá
Quando vê a cobra, corre pra matar
Ele atirou a sua flecha mas errou, (bis)
Sentou-se na areia e pôs-se a chorar
Mas quando vê a cobra corre prá matar (bis)

120- PONTO DAS CABOCLAS

Eu mandei fazer,
Três capacetes de pena
Um é pra Jandira,
Outro é pra Jupira,
E outro é pra Jurema

121- PONTO DE CABOCLO

Jurema sua mata é verde,
É verde como a cor do mar
Auê, Caçador da Jurema, (3x)
Juremá

122- PONTO DE CABOCLO

Kokê kokê kokê à (bis)
Lá na Jurema, onde moram meus caboclos
Onde moram vencem demandas
Sucuri piou, sucuri piou

123- PONTO DO CABOCLO MATA VIRGEM

Seu Mata Virgem
Sua banda está em festa
O céu e o mar estão cantando em seu louvor
Olha a cobra coral, piou, piou
Cobra coral está cantando em seu louvor

124- PONTO DE CABOCLO

Sucuri jibóia
Quando vem beirando o mar (bis)
Olha como o branco olhou
A sua cobra coral (bis)
125- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Jurema o seu saiote é tão lindo
Seu capacete de penas
Como brilha o seu diadema
Jurema ê ê, Jurema ê á,
Jurema filha de Tupinambá (bis)
Ela sempre foi e sempre será
Rainha da Jurema onde canta o sabiá

126- PONTO DO CABOCLO FOLHA VERDE

Zum, zum, sou eu,
venha ver quem é
Ele é seu Folha Verde
Sua figa é de guiné

127- PONTO DO CABOCLO MATA VIRGEM

Sentado em baixo de um arvoredo,
No meio da mata virgem,
Uma coral piou
Era o Caboclo Mata Virgem
Que na coral se transformou
Foi aí que ele me disse
Numa linguagem guarani
Sou filho de luar descendente de Tupi.

128-PONTO DO CABOCLO MATA VIRGEM

Seu Mata virgem, lá nas matas da Jurema
Entrou no rio para se molhar
O seu saiote entrou dentro d água
Mas a água não quis lhe molhar
Eh, re re rê, Eh re re rá
Seu mata virgem porque será?

129- PONTO DO CABOCLO MATA VIRGEM

Okê, okê caboclo
Seu Mata Virgem é da raiz da Urucaia
Mas oh que lindo caçador
Naquelas matas onde a coral piou

130- PONTO DO CABOCLO ARRUDA

Como é bonito é
Assistir festa na mata
Ouvir o som da cascata
E o lindo canto do sabiá
Que noite linda Bela noite de luar
Foi no clarão da lua
Que eu vi Caboclo Arruda passar
A mata está em festa
Toda coberta de flor
Até os passarinhos cantam
Oh meu caboclo
eles cantam em seu louvor
ôooooo quanta beleza
ôooooo quanto esplendor
como é bom ter a certeza
que Caboclo Arruda
é nosso protetor (bis)

131- PONTO DO CABOCLO FOLHA VERDE

Um grito na mata ecoou,
Foi seu Folha Verde quem chegou
Com sua lança, com seu cocar,
Seu Folha Verde vem nos ajudar

132- PONTO DO CABOCLO PENA BRANCA

Galo cantou na serra, a mata estremeceu
Caboclo seu Pena Branca na Cachoeira apareceu
Ele é caboclo guerreiro que mora no rochedo
Somente Cobra coral Conhece dele o segredo
Saravá seu pena Branca, sarava seu abasé
Traz na o seu bodoque pra defender filhos de fé
ele vem de aruanda trabalhar nesse abasá
sarava seu pena branca o guerreiro de Oxalá
sua fecha vai certeira vai pegar o feiticeiro
que fez juras e mandingas para o filho do terreiro
Pega o arco atira a fecha que esse bicho é corredor
Mas deve ser castigado ele é merecedor

133- PONTO DO CABOCLO FOLHA VERDE

Eu vi na margem do rio, em linda manhã serena
Caboclo Seu Folha Verde, firmando ponto na areia
Galo cantou na serra, a mata estremeceu
Caboclo Seu Pena Branca, na cachoeira apareceu
Ele é Caboclo Guerreiro, que mora no rochedo
Somente Mata Virgem, conhece dele o segredo

134- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Oxossi encontrou Jurema
Na beira o igarapé (bis)
Cobriu com folhas verdes,
perfumou-a com guiné (bis)

135- PONTO DE CABOCLO

Seu irmão é Flor do Dia,
Flor da Manhã e Pena Dourada.(bis)
Ele é o Orvalho da Noite,
Sereno da Madrugada.(bis)
Mundera alumeia o mundo,
Elena a imensidão.(bis)
Papa ceia vem guiando,
O chefe guerreiro e o índio Jaguarão

136- PONTO DE CABOCLO

Quando eu ouvir o teu brado
Invadindo as matas
Eu saberei quem é você
Caboclo que nasceu na floresta
Hoje é teu grande dia
A tua mata está em festa
Caboclo quando tu souberes
Que a tua força vem das matas
Das folhas que recobrem toda a terra
Da água lá do alto das cascatas
O mar te brindará com suas ondas
O céu ficará todo estrelado
O vento te saúda nesta hora
Oi saravá caboclo iluminado

137- PONTO DA CABOCLA JUREMA

As ondas estouravam lá na praia
Quando a cabocla ali chegou
Surgiu um arco íris (bis)
Tão lindo que encantou
A Jurema deu seu nome e bradou
Depois do brado ela saudou
Iemanjá com muito amor
A Jurema foi lá na praia
Pra fazer festa no batuque do tambor
Quando a Jurema vem (bis)
Quando a Jurema vem,
Ela vem no batuque
Tirando as mandigas dos filhos que tem
Toca, toca o atabaque
A Jurema vai chegar
Ela vai firmar seu ponto
Com a força de Iemanjá
Toca, toca o atabaque,
A Jurema já chegou
Ela trouxe do astral
A bondade e o amor

138- PONTO DO CABOCLO VENTANIA

Eu vi lá na mata um dia (bis)
Seu ventania sentado na pedra fria
Ele bradava, ele assobiava (bis)
E lá no céu uma estrela brilhava

139- PONTO DO CABOCLO ARRUDA

Lembrai do Caboclo Arruda, lembrai
Lembrai ele é nosso pai
Ele é caboclo todo coberto de penas
Ele é cacique lá nas matas da Jurema

140- PONTO DE CABOCLO

A noite quando cai lá na aldeia,
E os caboclos começam a se reunir
Sob a luz da lua eles falam a zambi
fazendo oferendas cantando em guarani
Orixa xáeu Orixa Anauê

141- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Que linda cabocla coberta de penas
Capitão das matas mandou lhe chamar (bis)
Lá vem a força que a Jurema tem (bis)
Lá vem a força que a Jurema dá

142- PONTO DE OXOSSI

A mata estava escura
Os anjos anunciaram
No seio da mata virgem
O seu Oxossi aqui chegou
Mas ele é o rei, ele é o rei, ele é o rei
Mas ele é o rei na aruanda, ele é o rei (bis)

143- PONTO DE OXOSSI

Eu corri terra eu corri mar
Até que eu cheguei na minha congá (bis)
Olha viva Oxossi lá nas matas
Que a folha da Jurema ainda não caiu (bis)

144- PONTO DO CABOCLO GUINÉ

Quando aruanda girar
Eu quero ver quem é (bis)
É o teimoso de aruanda
É o caboclo rei guiné (bis)

145- PONTO DE CABOCLO

Caboclo não tem caminho,
Para caminhar. (bis
Caminha pôr cima da folha,
Pôr baixo da folha,
Em todo lugar.
Okê Caboclo!… (bis)

146- PONTO DO CABOCLO ARRUDA

Fui buscar no meu congá
Que eu deixei lá na aruanda
Aqui está o Caboclo Arruda
Pra vencer esta demanda
A falange do Arruda é de força é de ação
Da Virgem N. Senhora
Eles têm a proteção

147- PONTO DE CABOCLO

Caboclo, sua mata é linda
É verde da cor do mar,
Auê, Caçador da Jurema
oh Jurema

148- PONTO DE OXOSSI

Eu vi chover eu vi relampejar
Mas mesmo assim o céu estava azul
Firma seu ponto lá na folha da Jurema
Oxóssi é bamba no maracatu

149- PONTO DO CABOCLO PENA BRANCA

Nasci na mata
Da mata não tenho medo
Nasci na mata
Embaixo do arvoredo
Nasci na mata
Da mata não tenho medo
Nasci na mata
Embaixo do arvoredo
Seu pena Branca que nasceu na Jurema
Mãe Oxum apanhou e ajudou a criar
Mas ele é o Rei Caçador
Ele é filho da Cinda e da cobra coral.

150- PONTO DO CABOCLO 7 FLECHAS

Ô Calinza,
Nasceu na boca da mata eu sei
Nasceu na boca da mata eu vi
Caboclo que vem das matas
Ele é conque
Ele é seu Sete flechas do Arerê
Ô Calinza,

151- PONTO DO CABOCLO JURUÁ

Ai se não fosse a folha da Jurema
O que seria do Caboclo Juruá
Jurema, Jurema, Jurema
É a Jurema do Caboclo Juruá

152- PONTO DE OXOSSI

Se o seu saiote é carijó,
e a sua fecha é de indaiá,
os caboclos vem serenos, como sereno é
Oxóssi é rei da macaia,
Oxóssi é Rei da guiné
Ele atirou
Ele atirou e ninguém viu
Seu Pena Branca é quem sabe
Aonde a flecha caiu

153- PONTO DO CABOCLO FOLHA VERDE

Os rios da Oxum são muito largos,
Lagoas da Iara matam a sede. (bis)
Saravá este Terreiro de Umbanda, saravá,
Saravá meu bom caboclo Folha Verde.(bis)

154- PONTO DO CABOCLO FOLHA VERDE

Temporal passou na mata,
Meu Deus, mas que ventania. (bis)
Era o Caboclo Folha Verde,
Que bradava ao romper do dia. (bis)

155- PONTO DO CABOCLO PENA VERDE

Ele veio da sua mata,
Veio saravá o congá.
Sua suna é Pena Verde,
Aqui e em qualquer lugar.

156- PONTO DE OXOSSI
Caboclo Roxo da pele morena
É Seu Oxossi Caçador, caçador da Jurema
Ele jurou e torna a jurar
Pelos conselhos que a Jurema
Vem nos dar

157- PONTO DA CABOCLO JUREMA

Ê Juremê, Ê Jurema
Sua flecha caiu serena, ô Jurema
Dentro desse congá
Salve São Jorge Guerreiro,
Salve São Sebastião
Salve a cabocla Jurema
Com a sua proteção

158- PONTO DO CABOCLO PENA BRANCA

Quem manda na mata é Oxossi
Oxossi é caçador (bis)
Ouvi meu Pai assobiar
Ele mandou chamar
É na Aruanda ê
Seu Pena Branca de Umbanda
É na Aruanda ê

159- PONTO DE CABOCLO

Caiu uma folha na Jurema
Veio o sereno e molhou
E depois veio o sol
Enxugou, enxugou
E as matas se abriram
Toda em flor

160- PONTO DE CABOCLO

Estrela, matutina
Clareia o mundo, sem parar
Estrela que guiou os três reis magos
Mostrando para o mundo o salvador
Iluminai também nosso terreiro iluminai
Com fé esperança e amor

161- PONTO DO CABOCLO MATA VIRGEM

Com seis dias de nascido
Minha mãe me abandonou (bis)
Me deixou na mata virgem
Seu Mata Virgem me criou
Seu Mata Virgem é o rei
Que lá nas matas mora (bis)
Vem aqui ver seus filhos
Que tanto te adora (bis)

162- PONTO DE CABOCLO

Na mata virgem
Uma coral piou,
Ele atirou a sua fecha certeira
Ele atirou ele atirou ele atirou
Atira caboclo lá na mata da Jurema

163- PONTO DE OXOSSI

Naquela estrada de areia
Aonde a lua clareou
Todos os Caboclos param
Para ver a procissão De São Sebastião
Oke, Oke, Oke, Caboclo
Meu pai Oxossi é São Sebastião

164- PONTO DE CABOCLO

Vestimenta de Caboclo é samambaia,
É samambaia, é samambaia (bis)
Olha Caboclo não se atrapalha
Saia do meio da samambaia (bis)

165- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Dentro da mata virgem
Uma linda cabocla eu vi
Com seu saiote Feito de penas
É a Jurema filha de Tupi
Com seu saiote Feito de penas
É a Jurema filha de Tupi
Jurema. Jurema, Jurema
Linda cabocla, filha de Tupi
Ela vem, lá da Juremá
Vem firmar seu ponto
Nesse congar

167- PONTO DA CABOCLA JUREMA

Jurema deu um estrondo
que toda a terra estremeceu
por onde anda os companheiros da Jurema
que até hoje não apareceu
Jurema
ô juremê juremá
é uma cabocla de pena
filha de tupinambá
rainha das águas e areias
nunca atirou pra errar
é uma cabocla de pena

168- PONTO DO CABOCLO MATA VIRGEM

Ele atirou e ninguém viu
Só seu Mata Virgem é que sabe
A onde a flecha caiu

169- PONTO DE OXOSSI

Assobiou, assobiou, assobiou
Firma cabeça que Oxossi vem aí
Assobiou, assobiou, assobiou
Firma cabeça que Oxossi vem aí

170- PONTO DE CABOCLO

Oxalá chamou!
Oxalá chamou e já mandou buscar
Os caboclos da Jurema
Pro seu Juremá
Pai Oxalá
É o rei do mundo inteiro
Já deu ordens pra Jurema
Chamar seus capangueiros
Mandai, Mandai
Minha cabocla Jurema
Os seus guerreiros
Essa é a ordem suprema!

171- PONTO DO CABOCLO TUPINAMBÁ

Tava na beira do rio
Sem poder atravessar
eu chamei pelos caboclos
Caboclo Tupinambá
eu chamei pelos caboclos
Caboclo Tupinambá
Tupinambá chamei
Chamei tornei chamar eaahhh
Tupinambá chamei
Chamei tornei chamar eaahhh

172- PONTO DE CABOCLO

São três folhas
São três folhas que ele traz
São três folhas
Caridade, Amor e Paz

173- PONTO DO CABOCLO PENA BRANCA

Saravá seu Pena Branca
Saravá seu apache
Pega flecha e seu bodoque
Pra defender filhos de fé
Ele vem de Aruanda
Trabalhar neste cassuá
Saravá Seu Pena Branca
No terreiro de Oxalá
Sua flecha vai certeira
Vai pegar no feiticeiro
Que fez juras e mandingas
Para o filho do terreiro
Pega o arco, atira a flecha
Que esse bicho é caçador
Além de ser castigo
Ele é merecedor

174- PONTO DO CABOCLO TUPINAMBÁ

Tupinambá é canga na batalha
Tupinambá ee Tupinambá
Tupinambá guerreiro de Oxóssi
Tupinambá ee Tupinambá
Tupinambá vem defender seus filhos
Tupinambá ee Tupinambá
Só não apanha Folha da Jurema
Sem ordem suprema Do Pai Oxalá
Só não apanha Folha da Jurema
Sem ordem suprema Do Pai Oxalá
Eu vi na margem do rio,
Em linda manhã serena,
Caboclo Seu Pena Verde
Firmando ponto na areia

175- PONTO DE CABOCLO

Oi Salve o sol, Salve a Estrela Guia
Saravá seu ventania, umbanda vamos saudar
Oi salve a folha da macaia na Jurema
Salve cabocla de pena filha de Tupinambá
A lua brilha iluminando o mundo inteiro
Clariando o terreiro para caboclo passar
Quiô, Quiô, Okê, O quiô quiá
Salve a folha da macaia Umbanda vamos saudar!
Firmou seu ponto na raiz da Orucaia
Jurema e Cabocla Iara, Vieram pra confirmar
Bendito seja o nome deste caboclo
Saravá arranca toco saravá Pai Oxalá
Caboclo Arruda que chegou neste terreiro
Junto com João Mineiro Umbanda vamos Saudar
Seus filhos vibram com o brado do caboclo
Saravá Arranca Toco, Arruda e Tupinambá

176- PONTO DO CABOCLO PENA BRANCA

Seu Pena Branca que mata é a sua
Onde pia a cobra, canta o sabiá
E clareia a Lua

177- PONTO DO CABOCLO TUPINAMBÁ

Quando meu tambor rufar eu sinto a presença de Tupinambá
Deixa a folha cair,
Veja uma estrela brilhar
A macaia está em festa,
pra ver Tupinambá chegar
Ela é caboclo ele vem caçar,
ele é guerreiro
Ele é Tupinambá

178- SUBIDA DE CABOCLO

A sua terra é longe
E eles vão embora
E vão beirando o rio azul
Adeus a Umbanda que os caboclos
Vão embora
E vão beirando
O rio azul

179- SUBIDA DE CABOCLO

Caboclo apanha a sua flecha,
Apanha o seu bodoque,
O galo já cantou.
O galo já cantou lá na Aruanda,
Oxalá lhe chama,
Para a sua banda.

180- SUBIDA DE CABOCLO

Caboclos já vão embora,
Pra cidade de Jurema.
O bom Jesus ta lhes chamando,
Na cidade de Jurema.
Mas eles vão ser coroados,
Na cidade de Jurema,
Com a coroa do aiê iêu,
Na cidade de Jurema.

181- SUBIDA DE CABOCLO

Adeus meus Caboclos, adeus!…
A sua banda lhe chama,
E eles já vão ao ló…
E eles já vão ao ló…
Deixam penas e saudade,
Vão pra Aruanda, sua macaia,
Numa gira só, é numa gira só!…

Oração aos Orixás

 
Oração aos Orixás
Que a irreverência e o desprendimento de Exu nos anime a não encarar as coisas da forma como elas parecem à primeira vista e sim que nós aprendamos que tudo na vida, por pior que seja, terá sempre o seu lado bom e proveitoso!
Laroyê Exu!
Que a tenacidade de Ogum nos inspire a viver com determinação, sem que nos intimide com pedras, espinhos e trevas. Sua espada e sua lança desobstruam nosso caminho e seu escudo nos defenda.
Ogum Yê meu Pai!
Que o labor de Oxóssi nos estimule a conquistar sucesso e fartura à custa de nosso próprio esforço. Que suas flechas caiam à nossa frente, às nossas costas, à nossa direita e à nossa esquerda, cercando-nos para que nenhum mal nos atinja.
Okê Arô Oxóssi!
Que as folhas de Ossaym forneçam o bálsamo revitalizante que restaure nossas energias, mantendo nossa mente sã e corpo são. Ewê Ossaym!
Que Oxum nos dê serenidade para agir de forma consciente e equilibrada. Tal como suas águas doces, que seguem desbravadoras no curso de um rio, entrecortando pedras e se precipitando numa cachoeira, sem parar nem ter como voltar atrás, apenas seguindo para encontrar o mar, assim seja que nós possamos lutar por um objetivo sem arrependimentos.
Ora Yê Yê Oxum!
Que o arco-íris de Oxumarê transporte para o infinito nossas orações, sonhos e anseios, e que nos traga as respostas divinas, de acordo com nosso merecimento.
Arroboboi Oxumarê!
Que os raios de Yansã alumiem nosso caminho e o turbilhão de seus ventos leve para longe aqueles que de nós se aproximam com o intuito de se aproveitarem de nossas fraquezas.
Eparrey Yansã!
 
Que as pedreiras de Xangô sejam a consolidação da Lei Divina em nosso coração. Seu machado pese sobre nossas cabeças agindo na consciência e sua balança nos incuta o bom senso.
Kaô Kabiesilê!
Que as ondas de Yemanjá nos descarreguem, levando para as profundezas do mar sagrado as aflições do dia-a-dia, dando-nos a oportunidade de sepultar definitivamente aquilo que nos causa dor e que seu seio materno nos acolha e nos console.
Odoyá Yemanjá!
Que as cabaças de Obaluayê tragam não só a cura de nossas mazelas corporais, como também ajudem nosso espírito a se despojar das vicissitudes.
Atotô Obaluayê!
Que a sabedoria de Nanã Buruquê nos dê uma outra perspectiva de vida, mostrando que cada nova existência que temos, seja aqui na terra ou em outros mundos, gera a bagagem que nos dá meios para atingir a evolução, e não uma forma de punição sem fim como julgam os insensatos.
Saluba Nanã!
Que a vitalidade dos Ibejis nos estimule a enfrentar os dissabores como aprendizado; que nós não percamos a pureza mesmo que, ao nosso redor, a tentação nos envolva. Que a inocência não signifique fraqueza, mas sim refinamento moral!
Onibejada!
Que a Paz de Oxalá renove nossas esperanças de que, depois de erros e acertos, tristezas e alegrias, derrotas e vitórias, chegaremos ao nosso objetivo mais nobre, aos Pés de Zâmby Maior!
Êpa Babá Oxalá!
Que assim seja!
Meu Saravá Amigo!